Banner

Saudação

Sejam Bem-Vindos! Hoje é

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Governo publica normas para migração de rádios AM para FM

Rádio AM


O Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, assinou nessa quinta-feira (13) a portaria que define as normas para migração das rádios AM para a faixa de frequência FM. Por meio de um sistema informatizado e audiências públicas a serem realizadas em cada um dos estados da federação, as emissoras poderão entrar com o pedido para mudança de faixa, que será analisado e aprovado pelos órgãos competentes. As informações são da Agência Brasil.
A ideia é melhorar a qualidade do sinal e aumentar a audiência das rádios, uma vez que o funcionamento na antiga frequência vem se tornando cada vez pior à medida que as cidades crescem. Além disso, as emissoras AM não podem ser captadas por aparelhos como tablets ou smartphones, deixando uma boa parcela do público sem acesso às emissoras. A reivindicação é antiga e foi aprovada em novembro do ano passado pela presidente Dilma Rousseff.
O SEI, Sistema Eletrônico de Informações, entrará em operação no dia 28 de abril e vai permitir que as empresas do setor realizem seu registro para mudança de frequência. Além disso, a migração também poderá ser solicitada presencialmente, em sessões públicas estaduais com datas ainda a serem divulgadas.
Os pedidos serão analisados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), que vai decidir se há espaço disponível nas cidades para todas as emissoras que entrarem com o pedido – a expectativa é que 90% das quase duas mil rádios sejam autorizadas. As emissoras também deverão pagar a diferença no valor da outorga e assinar novos contratos com o governo, que já deixa claro que o processo de migração não altera as concessões originais.
As primeiras migrações deverão começar a acontecer em agosto, com as faixas originais em AM sendo devolvidas à União. A ideia é que toda a frequência AM, que está entre os 540 e 1720 KHz, esteja liberada até 2016 e seja usada para internet banda larga.


FONTE: http://canaltech.com.br/

Campeonatos hackers da HP e do Google pagam US$ 4 milhões em prêmios

hacker
Terminaram na semana passada o Pwnium e o Pwn2Own, dois campeonatos hackers promovidos pelo Google e pela HP, respectivamente, que desafiaram times de pesquisadores a encontrar falhas de segurança em softwares consagrados. Entre os dois campeonatos foram distribuídos cerca de US$ 4 milhões (R$9,4 milhões) em prêmios. No Pwn2Own, campeonato patrocinado pela HP, os times encontraram bugs no Adobe Flash, Adobe Reader, Apple Safari, Google Chrome, Microsoft Internet Explorer e Mozilla Firefox. O grande prêmio do campeonato, de US$ 150 mil, seria pago a quem conseguisse fazer uma execução de código em nível de sistema em um Windows 8.1 x64, usando o IE 11 x64 que estivesse utilizando o Enhanced Mitigation Experience Toolkit (EMET). Embora nenhum dos times tenham conseguido vencer o desafio, o time Vupen, da empresa Vupen Security, chegou a receber US$ 400 mil, a maior quantia na história do campeonato.Em entrevista ao site CNET, o executivo e pesquisador-chefe da Vupen, Chaouki Bekrar, explicou que “o valor do Pwn2Own é mostrar que até mesmo o software mais seguro pode ser comprometido por um time de pesquisadores com recursos suficientes”. Dessa forma, além dos generosos prêmios em dinheiro, a competição também é uma forma das empresas descobrirem falhas de segurança e bugs importantes, podendo resolvê-los e tornar seus produtos mais seguros. Antes do campeonato, a Microsoft, Adobe e Google aplicaram atualizações em seus softwares na tentativa de minimizar a quantidade de bugs encontrados. O número de falhas reportadas durante o campeonato foi de 16, sendo cinco delas somente no Firefox. Os detalhes estão na página da HP e podem ser conferidos aqui aqui.Outro time que se destacou no Pwn2Own foi o Keen Team, da China, que recebeu US$ 65 mil por hackear o Apple Safari e co-hackear o Adobe Flash. O pesquisador-sênior da empresa, Liang Chen, explicou que o time levou três meses para encontrar as falhas e que fatores como sistema operacional e versão do software afetam o quanto elas são perigosas. “O Safari para desktop é mais difícil de hackear que o do iOS 7 porque ele recebe atualizações com mais frequência”, explicou.Além do Pwn2Own, da HP, foi realizado o Pwmium, evento patrocinado pelo Google e focado nos produtos da empresa. No total, US$ 2,7 milhões (cerca de R$ 6,39 milhões) foram pagos em prêmios, sendo que a maior quantia - US$ 150 mil - foi paga a um pesquisador que descobriu uma falha no laptop HP Chromebook 11.Chris Evans, engenheiro de segurança do Google, explica que as quantias pagas no campeonato são altas porque “o quanto podemos aprender é alto. Nós podemos fechar classes completas de bugs, enquanto desenvolvemos novas medidas de segurança ainda mais fortes”. Além do Pwmium, que é organizado anualmente desde 2012, o Google mantém diversos programas que recompensam hackers capazes de encontrar falhas em seus produtos, como o Chrome e o Search.FONTE; http://canaltech.com.br/Pwmium: US$ 2.7 milhões para hackear produtos Google

Startup quer revolucionar internet móvel com nova tecnologia pCell

no celular



Se você possui internet no celular, já deve ter percebido que o sinal nem sempre está bom e a velocidade nem sempre é aquela que você deseja. Muitas vezes isso é culpa da operadora, mas, de acordo com uma startup americana, a própria maneira como a internet móvel é concebida faz com que ela seja falha.
Da forma como funciona atualmente, a internet móvel (seja na tecnologia 2G, 3G ou 4G) funciona por meio de sinais vindos de grandes antenas. Elas precisam ser abrangentes o suficiente pra cobrir uma grande área, mas os seus sinais não podem se cruzar por causa de interferências. Assim, vários aparelhos se conectam a um sinal de internet, que precisa ser potente o suficiente para ser compartilhado pelo maior número possível de pessoas. Por conta dessas características, é comum que se perca sinal ao se locomover – isso acontece quando você está entre as áreas cobertas por várias antenas – ou então durante uma ocasião em que muitas pessoas estão conectadas ao mesmo tempo – a antena não suporta tantas conexões.
É nesse sentido que Steve Perlman, fundador da Artemis, pretende revolucionar o sinal de internet móvel. Junto de seu time de engenheiros, ele trabalha desde 2011 na tecnologia pCell, e promete com ela velocidades muito maiores ao que estamos acostumados.
A ideia da pCell é, ao contrário da internet móvel comum, espalhar uma massiva quantidade de pequenas antenas (as pWaves) que sejam capazes de promover o melhor serviço possível em uma pequena área. Assim, com a combinação de várias pWaves, o usuário das pCell pode criar sua própria rede pessoal de internet. Com isso, a Artemis estima que o sinal máximo de hoje seja o padrão da pCell, enquanto o sinal máximo da pCell poderia ser até 1.000 vezes mais rápido do que o que temos hoje.

pCell

Além de qualidade e velocidade maior do que o padrão atual, a nova tecnologia também promete economia de energia. Com antenas menores, se gastaria menos eletricidade para mantê-las em funcionamento, e os celulares também gastariam menos bateria tentando encontrar o sinal da internet - logo, duraria mais. Além disso, o investimento em infra-estrutura seria menor, já que não se precisaria erguer grandes torres de celular, e sim várias pequenas pWaves.
Do jeito como está sendo desenvolvida hoje, a tecnologia pCell também pretende ser compatível com todos os telefones disponíveis no mercado. No entanto, existe também a ideia de criar aparelhos nativos da pCell, que seriam ainda mais econômicos em energia.
A Artemis pretende lançar a pCell no quarto trimestre de 2014 na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos. Em uma demonstração, o CEO da empresa chegou a estimar que até o final de 2015 a tecnologia poderá estar disponível em todos os maiores mercados do mundo.


FONTE: http://corporate.canaltech.com.br/

LG pode lançar aparelho com resolução QuadHD

lg



Se as informações vazadas no Twitter pelo perfil @evleaks forem verdadeiras, a LG pode estar prestes a lançar o primeiro celular do mercado a contar com resolução QuadHD, também chamada de 2K. De acordo com dados encontrados no site oficial da fabricante, a empresa está trabalhando em um modelo de celular, o D850, que terá resolução de 1440 x 2560.
Toda essa densidade de pixels – com 534 ppi – será exibida em um display de 5,5 polegadas. Tudo indica que se trata do esperado LG G3, um dos aparelhos de topo de linha da fabricante e principal arma da companhia na luta pelo mercado de smartphones de alto nível, o qual entra em competição com Samsung e Apple, além de outros rivais.
Seria esse, então, o diferencial do LG G3 perante seus competidores mais diretos, como o Samsung Galaxy S5 ou o Sony Xperia Z2? Só o tempo vai dizer, já que até o momento, a fabricante não confirmou as informações que vazaram na internet.


FONTE: http://canaltech.com.br/

iPhone 6, iPad Pro e iWatch podem ser os grandes lançamentos da Apple para 2014

iwatch



Não é de hoje que se comenta a falta de inovação dos últimos produtos lançados pela Apple. Salvas raras exceções, como os recentes iPad Air e o Mac Pro, é difícil listar algum aparelho realmente diferenciado e que tenha chamado atenção dos usuários e da imprensa especializada nos últimos anos. Mas se as previsões de especialistas de mercado estiverem certas, 2014 promete ser um ano cheio de novidades para os fãs da Apple.
Analistas das companhias Wedge Partners e Pacific Crest estão otimistas de que este será o ano que a empresa de Cupertino vai apresentar sua próxima geração de produtos. Como informa o CNET, o item mais esperado é o iPhone 6, o primeiro da corporação que deve contar com dois tamanhos distintos de tela: um maior, com display entre 4,8 e acima de 5 polegadas - que já poderia ser classificado como "phablet" (mistura de smartphone e tablet) -, e uma versão nos moldes tradicionais dos últimos modelos do smartphone.
A estratégia seria uma forma da Apple alcançar seu público-alvo, ou seja, consumidores mais exigentes que prezam pela simplicidade do iOS, sem abrir mão de um design refinado e contemporâneo. Essa, inclusive, seria uma alternativa encontrada pela empresa para evitar o que ocorreu com o iPhone 5C, que não agradou o mercado e agora tem 3 milhões de unidades encalhadas em lojas de todo o mundo.

iPhone 6
Novo iPhone pode contar com diferentes tamanhos de tela para agradar todos os gostos. (Foto: Conceito/Martin Hajek)

Um outro produto citado pelos especialistas da Wedge Partners e da Pacific Crest é o comentado relógio inteligente iWatch. Brian Blair, da Wedge Partners, acredita que o acessório deve seguir uma linha mais próxima das pulseiras do que dos smartwatches, se assemelhando a uma smartband capaz de monitorar sinais vitais do corpo e ajudar o usuário a se manter em forma.
A afirmação vai de encontro com uma série de patentes registradas pela companhia nos últimos meses, além de contratações de profissionais ligados à área da saúde. Até o engenheiro brasileiro Marcelo Malini Lamego está na equipe de desenvolvimento do projeto. Lamego é o inventor de mais de 70 patentes, grande parte delas relacionadas a tecnologias de monitoramento de aparelhos e sensores para pacientes em tratamento médico. Ao todo, mais de 200 pessoas estão envolvidas na criação do iWatch.
É neste ano que a Apple também deve fazer sua estreia no mercado de pagamentos móveis. Tim Cook já declarou que considera esse setor intrigante, isso sem contar em várias patentes registradas pela companhia ligadas ao assunto. Em janeiro, fontes disseram ao Wall Street Journal que a Maçã já está desenvolvendo um sistema de transações mobile que vai permitir aos usuários fazer pagamentos usando o smartphone.
O mecanismo ainda deve utilizar o sensor biométrico Touch ID como medida de segurança: ao realizar uma compra, por exemplo, o consumidor precisaria colocar o dedo no leitor de impressões digitais para concluir a transação online. Especula-se que o sistema também funcionará em conjunto com o iTunes, que já possui um serviço de pagamento próprio que poderá facilitar o desenvolvimento da novidade.
Os analistas apostam em mais dois produtos que devem ser anunciados pela Apple ainda em 2014: um iPad conversível e um novo modelo do MacBook Air. O primeiro poderia adotar um visual semelhante ao do tablet Surface, da Microsoft, porém com um design bem mais prático e usual. Já há, inclusive, quem se refira ao aparelho como sendo um "iPad Pro", uma versão com tela acima de 12 polegadas. Já o MacBook Air deve ganhar melhorias no hardware, especialmente no que diz respeito à bateria e resistência.

iPad Pro
Uma versão Pro do iPad teria as mesmas proporções do MacBook de 12 polegadas. (Foto: Conceito/MacRumors)

"Acreditamos que a Apple está testando displays de 12 polegadas para um novo produto em potencial. Esse produto poderia ser mostrado durante a WDC", declarou Blair. A Worldwide Developers Conference, conferência anual da Apple para desenvolvedores, acontecerá em junho, e ainda não tem uma data definida.
Independentemente de quais produtos a Apple anuncie, o fato é que a companhia não deve deixar 2014 passar batido. Ainda mais agora que outras companhias se anteciparam e mostraram que já estão prontas para um futuro cada vez mais conectado e portátil - como é o caso da Samsung, com o Galaxy Gear e a Gear Fit, e o Google com seus óculos de realidade aumentada, o Glass.
E para você? Qual será o próximo passo da Apple neste ano? Deixe sua opinião nos comentários.


FONTE: http://canaltech.com.br/

GVT lança app que transfere ligações do fixo para smartphone



A  GVT anuncia hoje o aplicativo "GVT Freedom", que permite aos clientes da operadora realizar e receber ligações da linha fixa diretamente nos smartphones conectados à internet. Temporariamente gratuito, o serviço está disponível para Android iPhones.

As chamadas não são gratuitas e dependem da qualidade da conexão. A plataforma foi criada para que as pessoas utilizem a franquia de minutos mensal da linha fixa quando não estão no endereço onde ela está fisicamente instalada.

“Com o tempo, as pessoas vão perceber a vantagem de ter a 'extensão' da linha fixa disponível em qualquer ponto com internet e acessar o número fixo remotamente passará a ser um hábito”, analisa o vice-presidente de marketing e vendas da GVT, Daniel Neiva. 

De acordo com dados da última Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios (Pnad) do IBGE, 51,4% dos domicílios brasileiros já não têm telefone fixo e a receita das operadoras neste segmento de negócio está caindo em média 5% ao ano, segundo relatórios da consultoria Frost&Sullivan.


FONTE: http://olhardigital.uol.com.br/

Intel anuncia cabos que poderão transmitir dados a até 1,6 Tbit/s

MXC



Intel anunciou para o segundo semestre de 2014 o lançamento de sua nova tecnologia de cabeamento, que permitirá a transmissão de até 1,6 Tbit/s. A novidade é voltada para uso em data centers ou sistemas com supercomputadores e traz 64 fibras em seu interior, cada uma com capacidade de transmissão de100 Gbit/s.
A forma como cada desses elementos funcionará fica a critério do utilizador. A fabricante explica que é possível, por exemplo, criar fluxos iguais para entrada e saída de dados, com 800 Gbit/s em cada direção. Ou, então, aproveitar todo o potencial da infraestrutura e transmitir 1,6 Tbit/s em um fluxo único para atender as necessidades de sistemas que exigem grande alimentação de dados.
A novidade não se limita à transmissão em si e também está presente no conector. Chamado de MXC, ele possui menos peças e promete gerar custos menores com manutenção, além de terem proteção especial contra danos físicos. Em um primeiro momento, a tecnologia será usada na comunicação entre switches e racks de servidores, mas no futuro a Intel pretende utilizar os cabos para conectar máquinas e GPUs em busca de armazenamento ou poder de processamento extras.
Como explica a reportagem do Ars Technica, o MXC é um grande avanço em relação aos cabos de cobre utilizados atualmente, capazes de transmitir no máximo 10 Gbit/s com velocidade variável, devido às características do próprio material. O MXC não conta com esse tipo de problema e é capaz de manter seu funcionamento mesmo quando cabos de grande comprimento são utilizados.
Para baratear os custos para as empresas e acelerar a adoção da nova tecnologia, a Intel não venderá apenas a versão com 64 fibras. A ideia é disponibilizar fios com 8, 16 ou 32 cabos que sejam mais baratos e voltados para sistemas menores e com menos recursos, mas que ainda assim precisam de uma alta velocidade na transmissão dos dados. O preço não foi revelado, mas a fabricante prometeu aplicar valores competitivos para que uma mudança completa de tecnologia valha a pena.
Com o MXC, a Intel mira principalmente as empresas que trabalham com cloud computing, que trabalham com altas taxas de transmissão de dados e grandes infraestruturas conectadas para entregar o melhor resultado aos clientes. A empresa acredita que essas serão as primeiras a adotar a nova tecnologia.


FONTE: http://corporate.canaltech.com.br/


sábado, 21 de fevereiro de 2015

Primeiro-ministro do Reino Unido anuncia planos para desenvolver internet 5G

David Cameron

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, anunciou durante sua apresentação na CeBIT na tarde dessa segunda-feira (10) planos para desenvolver a próxima geração de internet móvel (5G) em parceria com a Alemanha. De acordo com o site The Independent, o ministro afirmou que o mundo está em uma "revolução tecnológica permanente" e o país não pode perder a oportunidade de desenvolver o 5G.
"Com o 4G, um filme de 800 MB demora cerca de 40 segundos para ser baixado; com o 5G isso poderia ser cortado para um segundo", afirmou durante sua apresentação no evento, que acontece em Hanover, Alemanha.
"Estamos à beira de uma nova revolução industrial e eu quero que nós, o Reino Unido e a Alemanha, possamos conduzi-la", disse Cameron. "Tome engenhosidade britânica em software, serviços e design, e adicione a excelência alemã em engenharia e manufatura industrial. Juntos podemos liderar essa nova revolução".
O desenvolvimento da nova arquitetura seria resultado de uma colaboração entre a King's College University de Londres, a Universidade de Surrey e a Universidade de Dresden.
O chefe de governo, no entanto, não falou nada sobre quais serão os investimentos no desenvolvimento. Ainda assim, Cameron afirmou que £73 milhões (cerca de R$ 285 milhões) serão destinados a pesquisas sobre as tendências da Internet das Coisas (IoT).
Em janeiro deste ano, o governo da Coreia do Sul anunciou que investiria US$ 1,5 bilhão para desenvolver a tecnologia 5G no país nos próximos seis anos. 


FONTE: http://corporate.canaltech.com.br/

Intel anuncia cabos que poderão transmitir dados a até 1,6 Tbit/s

MXC

Intel anunciou para o segundo semestre de 2014 o lançamento de sua nova tecnologia de cabeamento, que permitirá a transmissão de até 1,6 Tbit/s. A novidade é voltada para uso em data centers ou sistemas com supercomputadores e traz 64 fibras em seu interior, cada uma com capacidade de transmissão de100 Gbit/s.
A forma como cada desses elementos funcionará fica a critério do utilizador. A fabricante explica que é possível, por exemplo, criar fluxos iguais para entrada e saída de dados, com 800 Gbit/s em cada direção. Ou, então, aproveitar todo o potencial da infraestrutura e transmitir 1,6 Tbit/s em um fluxo único para atender as necessidades de sistemas que exigem grande alimentação de dados.
A novidade não se limita à transmissão em si e também está presente no conector. Chamado de MXC, ele possui menos peças e promete gerar custos menores com manutenção, além de terem proteção especial contra danos físicos. Em um primeiro momento, a tecnologia será usada na comunicação entre switches e racks de servidores, mas no futuro a Intel pretende utilizar os cabos para conectar máquinas e GPUs em busca de armazenamento ou poder de processamento extras.
Como explica a reportagem do Ars Technica, o MXC é um grande avanço em relação aos cabos de cobre utilizados atualmente, capazes de transmitir no máximo 10 Gbit/s com velocidade variável, devido às características do próprio material. O MXC não conta com esse tipo de problema e é capaz de manter seu funcionamento mesmo quando cabos de grande comprimento são utilizados.
Para baratear os custos para as empresas e acelerar a adoção da nova tecnologia, a Intel não venderá apenas a versão com 64 fibras. A ideia é disponibilizar fios com 8, 16 ou 32 cabos que sejam mais baratos e voltados para sistemas menores e com menos recursos, mas que ainda assim precisam de uma alta velocidade na transmissão dos dados. O preço não foi revelado, mas a fabricante prometeu aplicar valores competitivos para que uma mudança completa de tecnologia valha a pena.
Com o MXC, a Intel mira principalmente as empresas que trabalham com cloud computing, que trabalham com altas taxas de transmissão de dados e grandes infraestruturas conectadas para entregar o melhor resultado aos clientes. A empresa acredita que essas serão as primeiras a adotar a nova tecnologia.


FONTE: http://corporate.canaltech.com.br/

#VISH: Microsoft queria comprar o WhatsApp, afirma Bill Gates

Bill Gates

O Facebook, atual dono do WhatsApp, não era a única empresa que estava de olho no aplicativo mensagens instantâneas. Em entrevista à revista Rolling Stone, Bill Gates afirmou que a Microsoft também pensava em adquirir a empresa por trás do app, mas talvez não pelo mesmo valor pago por Mark Zuckerberg.
Ele, inclusive, elogiou a agressividade do empresário no mundo dos negócios e sua disposição a pagar preços bastante altos para obter para si um produto de alto valor. Isso, aqui, se traduz em uma gigantesca base de usuários (de aproximadamente 400 milhões de pessoas ativas diariamente), um fator essencial para o sucesso e, acima de tudo, longevidade de qualquer serviço online.
Foi justamente nesse sentido que Gates também falou sobre a chegada da computação em nuvem e como as empresas precisam estar preparadas para essa nova realidade. Na visão do executivo, é preciso mais do que uma simples adaptação para que produtos como o Office, que estão no mercado desde os anos 90, passem a ter presença significativa de maneira conectada. Isso, para a Microsoft, se traduz em assumir mais riscos e criar novas funcionalidades.
Gates também elogiou o Google, afirmando que, atualmente, a companhia se encontra com dinheiro e potencial suficientes para gerar inovações e trabalhar em propostas que tenham resultados ao longo prazo. Ele lembra que essa foi uma situação da qual a Microsoft usufruiu no final dos anos 90, investindo em conceitos como o das carteiras virtuais ou televisores interativos. As propostas, apesar de não terem sido bem-sucedidas na época, ajudaram a pavimentar o caminho do que ainda estava por vir.
O ex-presidente da Microsoft também falou um pouco sobre Edward Snowden e o recente escândalo de espionagem revelado por ele. Na opinião do executivo, o ex-analista da NSA não pode ser categorizado necessariamente como um herói, mas seus atos levantaram questões importantes e despertaram a curiosidade pública sobre até que ponto ações de vigilância podem ser consideradas legítimas.


FONTE: http://corporate.canaltech.com.br/

Usuários do Google Drive são alvo de novo golpe virtual

google drive


Um golpe bastante arrojado foi descoberto pela Symantec e tem como alvo os usuários do Google Docs. Utilizando um e-mail com o assunto “Documents”, os hackers estão utilizando páginas falsas de login para obter os dados de acesso aos serviços da gigante da internet, muitas vezes sem que a própria vítima perceba estar entregando suas informações a criminosos.
O golpe chama atenção por sua complexidade e sutileza. O e-mail recebido leva a uma página falsa de login que parece estar hospedada nos servidores do Google e utiliza, inclusive, o protocolo de segurança SSL. Após a inserção e validação dos dados, os usuários são levados à interface legítima do Drive, enquanto suas informações são enviadas para uma infraestrutura de terceiros, onde ficam armazenadas e à disposição dos hackers.
De acordo com a Symantec, a façanha foi possível a partir do próprio Google Drive. Os criminosos criaram uma pasta pública no serviço e hospedaram os arquivos maliciosos lá, utilizando as ferramentas da própria empresa para gerar um link a ser enviado para os usuários.
Segundo a empresa de segurança, as contas do Google Drive têm alto valor para os hackers por também darem acesso a outros serviços, como Gmail ou a loja virtual Google Play. Assim, eles podem realizar compras indevidas de aplicativos ou obter acesso a outros serviços a partir do e-mail. A dica é sempre a mesma: tomar cuidado com links enviados por desconhecidos e estar sempre comantivírus e firewalls atualizados.


FONTE: http://canaltech.com.br/

'Governo deveria ser o defensor da internet e não a ameaça', diz Mark Zuckerberg

FACEBOOK IPO Mark Zuckerberg

Google, Apple, Facebook, Yahoo! e outras grandes empresas de tecnologia já se mostraram contra as ações da Agência Nacional de Segurança (NSA) dos Estados Unidos, principalmente no que diz respeito a espionagem e (falta de) privacidade. Agora, o CEO da rede social mais famosa do mundo, Mark Zuckerberg, resolveu dar seu parecer sobre o caso. Em seu perfil no Facebook, ele demonstrou sua insatisfação com as atitudes adotadas pelo órgão de inteligência norte-americano e as criticou.
Zuckerberg afirma ter ligado para o presidente Barack Obama para expressars suas frustrações sobre os danos causados pelo governo no espaço virtual graças aos programas de monitoramento da NSA. A declaração do jovem executivo vem um dia após a revelação que a agência criou um sistema que imitava os servidores do Facebook e que cujo objetivo é infectar computadores com um malware que permitiria coletar dados de PCs em todo o mundo.
Para o fundador da rede social, "o governo norte-americano deveria ser o defensor da internet, não a ameaça". Ele também acredita que a NSA precisa ser mais transparente sobre suas atividades para evitar que os usuários desconfiem e acreditem no pior. "Infelizmente, parece que demorará muito tempo até que um reforma verdadeira aconteça", comenta.
publicação de Mark Zuckerberg já tem mais de 138 mil curtidas e mais de 17 mil pessoas compartilharam a mensagem. Leia abaixo o texto na íntegra:
"Conforme o mundo se torna mais complexo e governos de todo o mundo brigando, a confiança na internet é mais importante do que nunca.
A internet é nosso espaço compartilhado. Ela nos ajuda a nos conectar. Ela espalha oportunidades. Ela permite aprendizado. Ela nos dá uma voz. Ela nos faz mais fortes e seguros juntos.
Para manter a internet forte, nós precisamos mantê-la segura. É por isso que no Facebook nós gastamos bastante energia tornando nossos serviços e a internet mais e mais seguros. Nós criptografamos comunicações, nós usamos protocolos seguros para tráfego, nós encorajamos que as pessoas usem múltiplos fatores para autenticação e tomamos caminhos para consertar problemas que encontramos em serviços de outras pessoas.
A internet funciona porque a maioria das pessoas e das empresas faz o mesmo. Nós trabalhamos juntos para criar esse ambiente seguro e fazer nosso espaço compartilhado ainda melhor para o mundo.
É por isso que fico tão confuso e frustrado com as repetidas informações sobre o comportamento do governo norte-americano. Quando nossos engenheiros trabalham incansavelmente para melhorar a segurança, nós imaginamos que estamos protegendo vocês de criminosos, não do nosso próprio governo.
O governo norte-americano deveria ser o defensor da internet, não a ameaça. Eles precisam ser mais transparentes sobre o que eles estão fazendo ou as pessoas irão acreditar no pior.
Eu liguei para o presidente Obama para expressar minhas frustrações sobre o dano que o governo está causando para todo o futuro. Infelizmente, parece que demorará muito tempo até que um reforma verdadeira aconteça.
Então cabe a nós – todos nós – construir a internet que queremos. Juntos, nós podemos criar um espaço que seja maior e mais importante do que qualquer outro espaço que exista hoje, mas que também seja seguro. Eu estou comprometido em ver isso acontecer e você pode contar que o Facebook vai fazer sua parte."

Contra a espionagem

NSA

Em dezembro do ano passado, um grupo com oito das principais empresas de tecnologia do mundo divulgou uma iniciativa chamada "Reforma da Vigilância do Governo". O projeto tem como objetivo solicitar aos governos de todo o globo, incluindo os Estados Unidos, que se faça uma reforma mundial no sistema de vigilância norte-americano e de outros países para garantir mais segurança às companhias e usuários.
Em carta aberta publicada no site oficial da iniciativa, as empresas pedem ao presidente Barack Obama mais transparência sobre o que organizações como a NSA coletam sobre os internautas. Participam da campanha Apple, Google, Microsoft, Facebook, Twitter, LinkedIn, AOL e Yahoo!, que lembraram os mais de 200 mil documentos revelados pelo ex-técnico da CIA, Edward Snowden, que comprovam um esquema de espionagem global encabeçado pelos EUA. 
"Entendemos que os governos têm o dever de proteger seus cidadãos. Mas as revelações dos últimos meses só destacam o quanto é necessário reformar as práticas de vigilância dos governos em todo o mundo. Os direitos de liberdade do usuário estão registrados na nossa Constituição e podem ser prejudicados. É hora de uma mudança", diz a carta.
O projeto ainda destaca cinco princípios básicos que constituem a reforma do sistema de monitoramento. São eles: limitar a autoridade dos governos na coleta de informações dos usuários; supervisionar as agências de inteligência e regulamentar de forma independente todos os dados requisitados por essas instituições; garantir a transparência sobre demandas governamentais de vigilância de dados; respeitar o livre fluxo de informações na rede e evitar conflitos de leis entre governos. 


FONTE: http://canaltech.com.br/

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Google responde ao governo brasileiro sobre tributação de suas operações

Google



O Google emitiu uma carta aberta em resposta às afirmações do Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, sobre a coleta de impostos de suas operações no Brasil. De acordo com a empresa, R$ 733 milhões foram tributados durante todo o ano de 2013, como fruto de operações de publicidade e vendas realizadas e faturadas em território nacional.
Os números vêm em resposta às declarações de Bernardo feitas durante uma cerimônia de posse de novos ministros no Palácio do Planalto. Segundo ele, empresas como Google e Netflix se aproveitam de suas sedes no exterior para operar em uma “zona cinzenta”, faturando suas operações fora do país e em moeda estrangeira, movimentos que não resultariam no pagamento de impostos ao governo brasileiro.
Foram estes os motivos que levaram o Ministro a taxar o Google como “o grande monopólio da mídia”, capaz de competir diretamente com redes de televisão e operadoras de telecomunicações. Ele, porém, deixou bem claro que não é contra a regulação de conteúdo, mas deseja que o mercado de mídia passe por uma normatização que pode começar a ser discutida com a aprovação do Marco Civil daInternet.
Na carta aberta assinada pelo diretor geral do Google no Brasil, Fabio Coelho, a empresa afirma ter boa parte de seu faturamento no país oriundo da venda de publicidade, que é realizada em reais e com impostos recolhidos de acordo com a lei. Além disso, a companhia lembrou que já abre mão de seu sigilo fiscal desde 2012, quando revelou ter pago R$ 540 milhões em tributos.
A ideia do governo brasileiro é realizar uma reforma tributária para promover a chamada “situação assimétrica”, quando empresas de fora do país competem com companhias daqui, mas não contribuem devidamente ao Fisco. O Google argumenta que a receita nacional faturada no exterior envolve a compra de aplicativos pela loja Google Play e publicidade negociada em dólar e que elas representam uma fatia muito pequena da operação da companhia por aqui.


FONTE: http://corporate.canaltech.com.br/

YouTube firma parceria de R$ 1,5 milhão com RioFilme

youtube

O YouTube anunciou uma parceria com a RioFilme, que tem como objetivo apoiar a produção de conteúdo para web no Brasil. A nova linha de Produção de Conteúdo para Mídias Digitais foi anunciada durante o RioContentMarket, evento que acontece essa semana no Rio de Janeiro.
O projeto deve trazer um investimento de R$ 1,5 milhão por parte da RioFilme – uma distribuidora cinematográfica gerida pela Prefeitura do Rio de Janeiro, criada para apoiar as produções cinematográficas locais.
Na parceria com o YouTube, o cinema é deixado de lado e a intenção é abrigar projetos exclusivos para a internet. Em entrevista ao jornal especializado Meio e Mensagem, Sérgio Sá Leitão, diretor-presidente da RioFilme, afirmou que considera a web uma etapa importante para a revelação de novos talentos. “A produção de conteúdo para internet é uma das principais portas de entrada de novos talentos e de novas produtoras no cenário audiovisual carioca”, acredita.
A parceria deve permitir a criação de cerca de 52 novos materiais anualmente, sendo que o teto de apoio financeiro é de R$ 100 mil para cada projeto. Os produtores cariocas podem se inscrever no projeto a partir do dia 14 de abril, diretamente com a RioFilme.


FONTE: http://corporate.canaltech.com.br/

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Motorola anuncia a chegada do Moto X Bambu ao Brasil




Nesta segunda-feira (10), o site Tecmundo noticiou que a Motorola havia compartilhado uma imagem um tanto quanto enigmática através da sua conta do Facebook. Por conta disso, diferentes hipóteses de qual novidade a empresa iria lançar no Brasil foram criadas, sendo que uma delas indicava uma versão do Moto Maker voltada para o público brasileiro.
Contudo, um comunicado enviado para a imprensa resolveu a questão. De acordo com o anúncio da própria Motorola, o Moto X Bambu deve chegar às lojas brasileiras nos próximos dias — além disso, se você estiver interessado, vai ser possível comprar o aparelho através do site da companhia ainda hoje, com o preço inicial de R$ 1.499.
Ainda segundo as informações passadas pela Motorola, o bambu é utilizado como revestimento para a parte traseira do Moto X por ser considerado um material bastante resistente. Além disso, ele também apresenta traços únicos, fazendo com que os aparelhos sejam exclusivos e elegantes.
Para conferir a oferta do Moto X Bambu, apenas clique aqui. E, se você está curioso e deseja utilizar o Moto Maker (que não funciona para o Brasil), clique aqui e aproveite.

Polícia aumenta segurança após ameaça contra a sede do Facebook

Uma ameaça contra a sede do Facebook na cidade de Menlo Park, nos Estados Unidos, motivou uma ação policial e atrasou a ida dos funcionários para casa após o fim do expediente. De acordo com as autoridades, uma chamada feita às sete da noite (no horário local) informava que algo aconteceria em breve no prédio, o que motivou o envio de uma equipe para a área.
Instruídos a não deixarem seus escritórios, os funcionários da companhia tiveram que aguardar enquanto a polícia investigava a localidade em busca de suspeitas. Após as buscas, nada foi encontrado e os empregados foram liberados para ir embora. As autoridades não informaram a natureza da ameaça.
De acordo com informações da CNN, seis mil pessoas trabalham atualmente no campus de Menlo Park, na Califórnia, onde a empresa instalou sua sede em 2011. No ano passado, a empresa fez um acordo com as autoridades locais para a construção de um posto policial nas proximidades do local, mediante o pagamento de US$ 200 mil por ano.


FONTE: http://canaltech.com.br/

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

TUTORIAL ANDROID - Instalando o App do Facebook (FullHD)

Fala ai Galera do Youtube, aqui é Marcos Vinicius pra mais um tutorial em nosso Canal, com o Novo Padrão de Qualidade!



Veja o que os amigos estão fazendo
Compartilhe atualizações, fotos e vídeos
Receba notificações quando amigos curtem e comentam suas publicações 

----------- [ LINK ] ----------- 
→ Link do Facebook no Google Play Store:
http://goo.gl/8GoMtv

→ Link para Download do APK:
Facebook 26.0.0.22.16
http://goo.gl/9K7mFw
----------- ----------- ----------- 

LINK DO VÍDEO:    


 Confira Agora Nossas Redes Sociais     

 Skype: 
tudopraseupc01 ou marcos142012    

 Email: 
tudopraseupc01@hotmail.com    

 Gmail: 
tudopraseupc01@gmail.com    

 Página no Facebook:  

 Comunidade no Google Plus: 

 Grupo no Facebook: 

 Twitter: 

 Site: 

 Canal no Dailymotion: 

 App Oficial 2014/2015: 

 Loja Virtual (Apenas para Orçamento):

 Instagram: 

 Pinterest: 

 Tumblr: 

Extensão para Navegadores de Internet:

 Ask.fm: 
  
 LinkedIn: 

 MySpace: 



2012 - 2014Tudo Pra Seu PC™ Informática.


domingo, 15 de fevereiro de 2015

Afinal de contas, por que o Windows XP durou 13 anos?




A “morte” do Windows XP chegou. O sistema operacional lançado em 2001 pela Microsoft tem a partir de hoje seu suporte encerrado, deixando os usuários órfãos de atualizações de segurança. Isso significa que o software se tornará mais vulnerável a ameaças, e os usuários ficarão desprotegidos.

No entanto, para muitos, a migração para um sistema posterior, seja o W7 ou o W8, será difícil. Isso porque o XP ganhou muitos adeptos nesta longa trajetória de 13 anos. Trajetória que, inclusive, é muito bem-sucedida, diga-se de passagem.

Até hoje, depois de tanto tempo, o XP é o segundo sistema operacional mais popular do mercado, perdendo apenas para o Windows 7, que é 8 anos mais novo. Mesmo assim, a diferença não é tão grande. Segundo estudos de fevereiro, o W7 tem 47,5% do mercado de PCs, enquanto o XP tem 29,2%. Inclusive, na pesquisa da NetApplications, o XP chegou a ver um pequeno aumento de popularidade, mesmo com o aviso de que o fim se aproxima.

Afinal de contas, o que faz com que as pessoas se apeguem tanto ao Windows XP? Consultamos a Microsoft e nossos leitores para entendermos o que leva tantas pessoas a gostar de um software que, se fosse um ser humano, já poderia cursar a 8ª série do ensino fundamental.

O que a Microsoft acha?
Olhar Digital consultou a Microsoft Brasil para que a empresa fizesse algumas considerações sobre os motivos do grande e duradouro sucesso do XP. Fábio Gaspar, gerente de produto de Windows, afirma que o software conseguiu suprir bem as necessidades da época, com melhorias de interface bem aceitas pelo consumidor e pelas público corporativo.

“O XP foi um marco para muitos usuários, pois esteve presente no primeiro computador de muitos brasileiros e criou familiaridade e um bom relacionamento usuário-máquina”, ressaltando a velocidade e leveza. Com tanto tempo de mercado, Gaspar aponta que ele fez parte da onda de crescimento dos PCs; assim, todo ecossistema o abraçou, com o desenvolvimento de programas.

“Hoje o Windows XP não está mais adaptado para a nossa realidade, tanto em segurança, quanto em tecnologia e interface e, por isso é importante que a atualização do sistema operacional seja feita pelos usuários”, ele afirma.

O que o público acha?
Perguntamos em nossa página no Facebook  o que as pessoas achavam do Windows XP e a reação do público, de uma forma geral, é extremamente positiva em relação ao sistema. Alguns dizem que não o largam por nada e questionam a decisão da Microsoft em abandonar o suporte; outros reconhecem sua importância, mas dizem que o sistema está ultrapassado e é hora de seguir adiante. As respostas mais interessantes estão destacadas abaixo:
“É um marco na história da Microsoft, bem criado e bem planejado” (Wellington Kauê Mattos)
“O Windows XP foi o último SO estável, intuitivo e que nos dava muita autonomia. Um dos mais fáceis de se usar e configurar.  Apesar do Seven Profissional também ser ótimo e estável, nossa autonomia foi excluída.” (LizBeth Arias Heringer)
“Além de ser um sistema operacional bem leve, é ótimo para desempenho nos games” (Iago Matheus)
“Melhor sistema operacional da história, mesmo gostando do 8 e do 7 vai ser difícil algum SO superar ele na abrangência, facilidade de uso e programação” (Hommer Thadeu)
“Criou um grande diferencial no mercado, apesar de falhas de segurança. Foi um marco, porém é chegado a hora de evoluir” (Israel Oliveira Pinheiro Lopes)
“Foi muito bom, mas deixou de ser útil após o W7, e agora com o W8 ficou defasado. XP, chegou sua hora, você teve a sorte de ser criado quando não se tinha nada de novo”. (Mario Oeser Antunes)
“Foi o pontapé inicial de aprendizado pra determinada geração que hoje usa Win7 e 8 com muito mais autonomia e segurança” (Iranildo Melo)
“Ele é o sistema operacional de uma geração inteira de internautas, já que quem passou pelo Windows 3.11, 95 e 98 teve uma experiência tímida ou nula com a internet que no Brasil era muito cara e bastante lenta” (Diego Pereira)
“Simplesmente o kernel mais estável já desenvolvido pela Microsoft e a interface mais amigável e intuitiva dos Windows”(Edson Cavalcante)


Smartphones com sistema operacional Ubuntu devem custar entre R$ 470 e R$ 940

Ubuntu Phone

Para aqueles que estão animados com a chegada de smartphones com o sistema operacional Ubuntu, aí vai mais uma boa notícia. Durante o evento de tecnologia CeBIT, em Hanover, na Alemanha, o CEO da Canonical, Mark Shuttleworth, revelou que os celulares equipados com a plataforma deverão custar entre US$ 200 e US$ 400, cerca de R$ 470 e R$ 940, respectivamente.
"Vamos até o fim [com a estratégia de lançar os aparelhos nesses valores] porque queremos consumidores que procuram por uma nova e forte experiência [em smartphones], já que nossa ambição é vender o PC do futuro, aquele que será nosso mecanismo de computação pessoal", disse Shuttleworth. As informações são do site The Inquirer.
Vale lembrar que, apesar da declaração do executivo, o preço oficial dos dispositivos precisará ser aprovado pela chinesa Meizu e pela espanhola BQ, as fabricantes responsáveis pela produção dos primeiros modelos de telefone com o sistema operacional. Em todo o caso, a previsão é bem mais animadora do que os preços do Ubuntu Edge, que iria custar entre US$ 630 e US$ 800 se tivesse saído do papel - o projeto não conseguiu alcançar a meta de US$ 32 milhões no Kickstarter e foi cancelado.
Além disso, um smartphone que custa entre US$ 200 e US$ 400 é considerado, nos Estados Unidos, um aparelho de configuração intermediária. Dessa forma, o produto seria mais barato que os Androids topo de linha vendidos por LG, Samsung e outras companhias do mercado, isso sem contar os iPhones da Apple, que chegam a custar de US$ 650 a US$ 850. Levando em consideração o custo dos celulares inteligentes aqui no Brasil, um aparelho da Canonical nessa faixa de preço poderia chegar por um valor semelhante ao do Moto X, que custa R$ 1.500.

Ubuntu Phone

Ubuntu Phone
O sistema operacional Ubuntu OS rodando em um Galaxy Nexus. (Foto: Ars Technica)


Na visão do CEO da Canonical, o projeto dos smartphones com Ubuntu é uma alternativa aberta ao Android, pois oferece as mesmas vantagens do sistema operacional do Google, mas sem o monopólio da empresa. Em relação à Apple, Shuttleworth afirma que não tem como alvo os usuários do iPhone, já que esses consumidores têm uma "conexão emocional" com o ecossistema da Maçã.
Em entrevistas, oi executivo também disse que a companhia poderá se beneficiar do sucesso do Android. Isso porque toda a equipe por trás dos dispositivos Ubuntu puderam ver as principais vantagens e defeitos da plataforma e desenvolver alternativas que chamem a atenção dos usuários. Mais do que isso, a ideia é permitir que o dono utilize o aparelho como um celular e também como um computador convencional, conectando-o a um monitor.
"O Android não foi projetado ou construído para ser o seu computador pessoal. Temos a vantagem de começar tarde [sobre entrar no mercado de smartphones], então fomos capazes de pensar em novas estratégias antes de tocar o projeto. O Android com certeza tem cumprido seu propósito, mas talvez  seja hora de algo novo", declarou Shuttleworth.
O sistema ainda é compatível com aplicativos feitos em HTML5, que facilita a criação de novas ferramentas e a adaptação de apps de sucesso de outras plafatormas mobile que utilizam essa linguagem de programação. Por enquanto, a companhia confirmou que os 50 aplicativos mais usados no Android e no iOS estão sendo convertidos para rodar nos smartphones da linha Ubuntu, entre eles o Evernote e o Grooveshark.
Ainda não há data definida para o lançamento dos produtos, mas a Canonical já revelou que os primeiros modelos serão colocados à venda ainda neste ano.


FONTE: http://canaltech.com.br/

#NOVIDADE! Google deve abrir primeira loja física a um quarteirão da Apple Store em NY

Se as lojas físicas são o novo campo de batalha entre Google e Apple, a gigante das buscas escolheu o lugar perfeito para incomodar a rival. Segundo informações publicadas pelo site Crain’s New York Business, especializado no mercado imobiliário da cidade, a empresa estaria prestes a fechar a locação de um espaço a uma quadra de uma Apple Store para abertura de sua primeira loja física.
Localizado no bairro do SoHo, um dos mais luxuosos de Nova York, o imóvel tem 380 metros quadrados e fica bem próximo de outras grandes marcas como Stella McCartney, Tiffany, Hugo Boss e Ralph Lauren. O movimento é visto como mais um grande ponto positivo para a região, que cada vez mais se firma como ponto de encontro para quem busca fazer compras em grandes marcas.
Os rumores de que o Google estaria prestes a abrir uma loja própria começaram a circular no ano passado, quando a empresa inaugurou uma série de locais temporários para venda de seus produtos. O projeto Winter Wonderlab teria dado tão certo que a empresa estaria pensando seriamente em investir no negócio, expandindo um modelo que já pode ser encontrado dentro de grandes varejistas nos Estados Unidos.
O conceito de “loja dentro da loja” funciona em redes como a Best Buy e consistem de centros dedicados exclusivamente ao Android e outros produtos do Google, em um ambiente com especialistas nos sistemas para dar suporte aos clientes. Um conceito semelhante também já foi aplicado na Índia, em parceria com empresas locais.
Caso o negócio no bairro do SoHo seja confirmado, o Google estaria abrindo sua primeira loja efetivamente própria nos Estados Unidos. O movimento é visto, inclusive, como semelhante ao realizado pela Apple há alguns anos. Com a inauguração de uma loja na Prince Street, a empresa revitalizou a região e trouxe consigo uma série de novos negócios para a área.



FONTE: http://canaltech.com.br/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...