Banner

Saudação

Sejam Bem-Vindos! Hoje é

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O que vai mudar no WhatsApp após a venda para o Facebook? Saiba mais detalhes

WhatsApp



O Facebook anunciou na noite desta quarta-feira (19) a compra do aplicativo de mensagens instântaneas WhatsApp. Segundo comunicado oficial, a negociação custará à rede social de Zuckerberg US$ 16 bilhões, sendo US$ 4 bilhões em dinheiro e US$ 12 bilhões em ações no Facebook. Além disso, haverá ainda outros US$ 3 bilhões em unidades de ações restritas.

O comunicado destacou algumas informações relevantes sobre o app, afirmando que atualmente 450 milhões de pessoas utilizam o serviço mensalmente, sendo que 70% desses usuários são ativos. A empresa de Menlo Park também afirma que a aquisição é uma "missão compartilhada do Facebook e do WhatsApp para trazer mais conectividade e utilidade ao mundo".

"O WhatsApp está no caminho para conectar 1 bilhão de pessoas. Os serviços que chegam a essa marca são todos incrivelmente valiosos. Eu conheço Jan [Jan Koum, CEO do WhatsApp] por um longo tempo e estou animado com a parceira com ele e sua equipe para tornar o mundo mais aberto e conectado", disse Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, no comunicado.

"O elevado engajamento dos usuários no WhatsApp e seu crescimento rápido são impulsionados pelos simples, poderosos e instantâneos recursos de mensagem que nós oferecemos", afirma Koum. Com a aquisição, o fundador do WhatsApp irá se juntar ao Facebook como executivo e se tornar parte do conselho diretor da rede social.

Publicidade

Em post publicado no blog oficial do WhatsApp, o aplicativo afirma que continuará sem publicidade e sem aumento de preço. "O WhatsApp permanecerá autônomo e operando de forma independente. Você pode continuar a usar o WhatsApp independente de onde você esteja, ou qual smartphone você esteja usando. E não terá absolutamente nada de anúncios interrompendo sua comunicação. Não teria havido nenhuma parceria entre as duas empresas se tivéssemos que comprometer esses princípios fundamentais que sempre definirão nossa companhia, nossa visão e nosso produto".

A questão da publicidade sempre foi um ponto importante no app e que ainda pode causar discussões. Como lembra o TechCrunch, os anúncios são a principal fonte de renda no Facebook e também foram incorporados recentemente ao Instagram, que pertence à rede social desde 2012.
Facebook Messenger
Em post compartilhado em seu perfil, Mark Zuckerberg também comentou sobre a compra do aplicativo e fez questão de deixar claro que a novidade não afeta o Facebook Messenger. "O WhatsApp vai complementar nossos serviços de chat e mensagens existentes para fornecer novas ferramentas para a nossa comunidade. O Facebook Messenger é amplamente utilizado para conversar com seus amigos do Facebook, e o WhatsApp para a comunicação com todos os seus contatos e pequenos grupos de pessoas. Como o WhatsApp e o Messenger têm usos tão diferentes e importantes, vamos continuar investindo em ambos e tornando-os grandes produtos para todos", disse.

Antigos rumores
Em abril do ano passado, rumores afirmavam que o Google compraria o WhatsApp por US$ 1 bilhão. Contudo, pouco tempo depois, a companhia desmentiu o boato. Em 2012, o Facebook também havia sido apontado como um possível comprador do aplicativo com base em relatórios vazados, mas a empresa negou e disse que os relatórios "não eram precisos".
O valor pago pelo Facebook na negociação é um dos maiores do mercado de tecnologia. Outra grande aquisição foi quando o Google comprou a Motorola Mobility, em 2013, por US$ 12,5 bilhões. Recentemente, a gigante de buscas vendeu a unidade para a Lenovo.
Já o Viber, um dos maiores concorrentes do WhatsApp, foi adquirido pela varejista Rakuten por US$ 900 milhões.


[ Fonte: 
http://corporate.canaltech.com.br/ ] 




####################################################

Confira Agora Nossas Redes Sociais:



####################################################

#TUTORIAL: Como desabilitar a exibição do último horário de acesso ao aplicativo no WhatsApp

WhatsApp



Uma das polêmicas relacionadas ao Whatsapp já ficou para trás: não, os sinais de verificação que aparecem ao lado das mensagens enviadas não indicam que a pessoa leu o que você escreveu, mas apenas que a conversa foi enviada com sucesso. Existe, porém, outro método para ficar sabendo quando um contato acessou o aplicativo e simplesmente não respondeu ao seu chamado.
Basta acessar a conversa com a pessoa em questão e observar que, logo abaixo do nome do contato, o software exibe o último momento em que a pessoa verificou o aplicativo. Pior ainda, caso os dizeres indiquem “online”, significa que ela o está utilizando naquele momento. A função, porém, pode acabar gerando bastante constrangimento, quase tanto quanto a função do Facebook que indica que as mensagens no chat realmente foram lidas.

Esconder status whatsapp
O que pouca gente deve saber, porém, é que a versão iOS possui um recurso nativo para acabar com esse tipo de pressão, e o método para fazer isso é bastante simples. Confira:
No menu “Ajustes”, na parte inferior direita da tela, selecione a opção “Ajustes de Conversa”.

Esconder status whatsapp

Na tela seguinte, escolha a opção “Avançado”.

Esconder status whatsapp

Aqui, há uma única opção disponível, “Visto por último”. Basta desativá-la para que os horários de visualização do aplicativo não mais apareçam para os seus contatos, uma mudança que, de acordo com o Whatsapp, leva até 24 horas para ser ativada.

Esconder status whatsapp
Vale lembrar que, se você ativar a opção, também não poderá ver o horário em que seus contatos verificaram o aplicativo por último.
Infelizmente para muitos, a função está disponível nativamente apenas no iOS. No Android, não é possível realizar esse procedimento, mas desenvolvedores já criaram uma solução: é o Hide what.app status, um aplicativo que é capaz de ocultar o status online do software e permitir um uso mais discreto da ferramenta.


Fonte: 
http://canaltech.com.br/




 ####################################################

Confira Agora Nossas Redes Sociais:



####################################################

► #NOVIDADE! WhatsApp anuncia que terá chamadas por voz





A primeira grande novidade do WhatsApp após sua venda para o Facebook está a caminho. Hoje, o cofundador Jan Koum anunciou que será possível fazer chamadas por voz com o aplicativo graças a uma atualização que sairá no segundo trimestre deste ano.
Quando a atualização entrar em vigor, o WhatsApp entrará num terreno que seus competidores já conhecem. BBM, Line, Skype e vários outros possuem recurso de ligações. No WhatsApp é possível enviar mensagens de voz, mas não em esquema de conversação ininterrupta; é necessário gravar a fala e enviá-la como arquivo.
Koum não informou qual sistema operacional receberá tal atualização primeiro, mas ele soltou alguns números atualizados sobre a plataforma, que hoje conta com 330 milhões de usuários ativos diários e 465 milhões de usuários mensais ativos.






► #NOVIDADE! É lei: usuário pode cancelar internet, telefonia e TV sem ligar para call center

Celulares


A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) anunciou nesta quinta-feira (20) novas regras do Regulamento Geral dos Direitos do Consumidor de Telecomunicações, uma série de medidas que prometem facilitar a vida dos usuários de dispositivos móveis, TV a cabo e banda larga. Entre as principais novidades que ficam estabelecidas está a possibilidade de cancelar contratos pela internet, sem a necessidade de falar com um atendente, e também a validade mínima de 30 dias para créditos de celulares pré-pagos.
De acordo com informações do Estadão e da Agência Brasil, o cliente agora tem o direito de efetuar o cancelamento de planos e serviços contratados sem passar pela central de call center da operadora. Esse procedimento poderá ser realizado online ou digitando uma opção no menu eletrônico da central de atendimento telefônico da prestadora (SAC).
O cancelamento por meio de um atendende continua, se essa for a escolha do cliente. Se a ligação cair durante o atendimento, a companhia deve retornar para o consumidor e, caso não consiga entrar em contato, tem a obrigação de enviar ao cliente uma mensagem de texto com número de protocolo da chamada. Assim como já acontece nos call centers, todas as conversas são gravadas e ficam armazenadas por seis meses. Caso tenha alguma dúvida, o consumidor tem o direito a uma cópia dessas gravações.
O prazo para que a empresa desative o contrato deverá ser feito em no máximo dois dias úteis e, após esse período, o consumidor não poderá ser cobrado pelo serviço. Caso o usuário queira desistir do cancelamento, ele pode entrar em contato com a operadora para desfazer o procedimento, desde que seja no prazo de dois dias a partir da data em que ele solicitou o fim do contrato.
As novas regras da Anatel também determinam que os créditos de celulares pré-pagos tenham validade mínima de 30 dias. Segundo Rodrigo Zerbone, relator da medida, a facilidade de compra de créditos de pré-pago faz com que, muitas vezes, o consumidor não seja informado sobre a validade do serviço, que, em alguns casos, expira em sete ou dez dias. As empresas terão que comunicar ao consumidor quando os créditos estiverem perto de expirar e ainda oferecer créditos com validade de 90 e 180 dias.
Também fica proibido que as empresas mandem mensagens de texto contendo publicidade ou anúncios para os clientes, a não ser que o consumidor autorize o envio. Em 2012, a Anatel já tinha determinado que as prestadoras fizessem uma consulta aos assinantes sobre o interesse em continuar recebendo mensagens publicitárias.
Outra novidade estabelecida pela Anatel é que as campanhas promocionais feitas pelas operadoras não poderão mais fazer discriminação de clientes. Ou seja, a partir de agora, não importa se são novos ou antigos assinantes: todos devem receber o mesmo tratamento - por exemplo, o consumidor tem direito de aderir a um plano ou promoção da empresa mesmo se ele já for cliente dela, desde que esteja na área geográfica onde a campanha foi anunciada.Vale lembrar que, se o assinante tiver um contrato de carência e multa por cancelamento, terá que pagar o valor informado para sair de um plano e entrar no outro.
Um outro ponto no novo regulamento exige que as companhias sejam mais transparentes nos contratos e disponibilizem em seus sites informações completas sobre todos os planos oferecidos. Ao assinar um novo serviço, o usuário deverá receber um informativo que descreva em detalhes exatamente aquilo que ele está comprando. O mesmo vale para promoções, nas quais as operadoras deverão informar qual é o desconto e o benefício, assim como o prazo de validade da oferta e qual será o valor do plano depois que o período promocional acabar.

Call Center
Consumidores não vão mais precisar ligar para call centers para cancelar serviços (Foto: Divulgação/Contax)

Sobre as cobranças, a Anatel determinou que, assim como os planos e serviços de assinatura, os usuários tenham total acesso a contratos, faturas antigas e históricos de consumo pela internet, com a possibilidade de baixar todos esses arquivos. Protocolos e gravações de chamadas de atendimento feitas para o call center da empresa também terão de ser disponibilizados aos clientes através do site da companhia.
Além disso, o consumidor terá mais facilidade para contestar valores. Sempre que o usuário questionar o preço ou o motivo de uma cobrança, a empresa terá 30 dias para responder. Se não cumprir ou verificar a solicitação dentro do prazo, a prestadora deve automaticamente corrigir a fatura, caso ela ainda não tenha sido paga, ou devolver em dobro o valor contestado, caso a fatura já tenha sido paga. O consumidor tem o direito de questionar faturas de até três anos atrás.
Anatel também determinou o fim da cobrança antecipada, uma prática adotada principalmente pelas operadoras de internet banda larga e TV por assinatura que obrigam os clientes a pagar pelo serviço antes de usá-lo. A partir de agora, as cobranças só poderão ser feitas depois que o consumidor utilizar de fato o serviço e, se ele desistir do pacote no meio do mês, pagará apenas pelo período em que fez uso da assinatura.
E para quem comprar um produto ou quiser cancelá-lo pessoalmente, a Agência determina que as empresas também terão de disponibilizar atendimento em lojas físicas que fazem apenas a venda de planos ou aparelhos. O objetivo é que os consumidores que adquiriram o serviço naquela loja possa retornar a ela e ter atendimento pós-venda.
Todas as novas obrigações previstas no regulamento da Anatel variam de acordo com o porte da operadora: com até 5 mil consumidores, as que têm entre 5 mil e 50 mil consumidores e as que têm mais de 50 mil consumidores. Depois que a decisão for publicada no Diário Oficial da União, as companhias terão um prazo de 120 dias para implementar as novas medidas de cancelamento e de 18 meses para adaptação ao restante das leis.
Segundo a Anatel, a ideia, com o "Regulamento Geral dos Direitos do Consumidor de Telecomunicações", é aumentar a transparência nas relações de consumo e ampliar os direitos de quem utiliza telefonia fixa e móvel, internet e televisão por assinatura.


[ Fonte: 
http://canaltech.com.br ] 

MWC 2014: Primeiro celular com sistema operacional Tizen chegará ainda em 2014

Tizen



Quem for ao Mobile World Congress 2014 procurando ter o primeiro contato com o sistema operacional Tizen pode se frustrar. A novidade baseada em Linux ainda não deu as caras por lá e está presente em Barcelona apenas em caráter de testes. O CEO da Tizen Association, Ryoichi Sugimara, porém, garante: os primeiros celulares do tipo chegarão ao mercado ainda em 2014.
Em conversa com os jornalistas durante o evento, reportada pelo CNET, o executivo afirmou já ter fechado parceria com 15 companhias para a produção de celulares, tablets, funções e aplicativos para o Tizen. Há, porém, todo um cuidado por parte da empresa para garantir que o lançamento seja bem feito e que o novo sistema chegue a um mercado ideal capaz de contribuir com a prosperidade da nova ideia.
Um dos principais focos de atenção é a escolha de quais territórios receberão o Tizen primeiro, já que estes não podem ter uma concorrência ferrenha, de forma a dar o devido espaço ao Tizen. Por isso, um lançamento no Japão – onde Sugimara também atua como diretor de produtos da operadora NTT Docomo – acabou sendo deixado de lado por enquanto.
Além disso, os olhos estão voltados para as tecnologias vestíveis, com o Gear 2 e Gear Neo, ambos smartwatches da Samsung e que, confirmadamente, serão os primeiros gadgets a rodar o novo sistema operacional. Em seu estande, a fabricante sul-coreana também está exibindo dois aparelhos rodando o Tizen em caráter de teste. O primeiro deles mostra a interface gráfica do sistema operacional, enquanto o outro é dedicado a exibir a desenvolvedores as possibilidades do HTML5 e do Linux, sobre os quais toda a estrutura do Tizen funciona.

Força e confiança

Sugimara comparou a atenção dada pela Tizen ao produto que leva seu nome com a dedicada por uma mãe a seu bebê. Segundo ele, não dá para soltar o sistema operacional em um mundo onde ele não possa crescer, por isso, há uma preocupação com firmar parcerias e se unir a grandes nomes do mercado, incluindo operadoras de telefonia, varejistas e produtores de software.
Uma união desse tipo já foi anunciada e a Tizen estará se unindo à ZTE, uma das maiores empresas de telecomunicação da China. Além disso, o executivo afirmou que o sistema operacional chegará não apenas a smartphones e tablets, mas também aparecerá em televisores inteligentes e sistemas de entretenimento domésticos ou para veículos, além das já citadas tecnologias vestíveis.
A busca por conexões de internet móvel mais velozes é vista como uma oportunidade para a Tizen, que pode lançar seus smartphones no mercado e aproveitar o momento em que diversos usuários trocam de aparelho para aproveitar a tecnologia LTE. Mas Sugimara sabe que é preciso correr para não ficar para trás nessa onda. Ainda, ele também espera que a forte influência da Samsunge da Intel não assuste os interessados, mas os atraia ainda mais para a novidade.
Contrariando as perspectivas do mercado, Sugimara também se diz confiante de que o mercado de celulares ainda alcançará crescimento em 2014. Apesar de considerar a maturidade e estagnação do segmento, ele vê o momento atual como extremamente importante para a estratégia “um passo de cada vez” do Tizen e confia que ele terá seu espaço junto aos grandes players do setor.


[ Fonte: 
http://canaltech.com.br/ ] 




####################################################

Confira Agora Nossas Redes Sociais:



####################################################

WhatsApp perdeu quase 5 milhões de usuários para o russo Telegram

WhatsApp perdeu quase 5 milhões de usuários para o russo Telegram


Você conhece o Telegram? É bem provável que não: afinal, até a semana passada, esse aplicativo russo para troca de mensagens instantâneas era um completo desconhecido para a maior parte dos internautas. Essa situação sofreu uma grande reviravolta, contudo, durante este último final de semana, no qual o “colosso” WhatsApp foi acometido por graves instabilidades e deixou seus fiéis usuários completamente desamparados.
Enquanto alguns decidiram reviver o SMS e esperar ansiosamente o retorno do serviço, outros decidiram abandoná-lo de vez e migrar para o até então obscuro Telegram. O resultado? O app europeu ganhou ao menos 4,95 milhões de usuários em apenas um dia, o que também o colocou no posto de aplicativo de iPhone mais baixado da App Store. Em seu perfil oficial no Twitter, a equipe por trás do software comemorou o episódio e, posteriormente, aproveitou para avisar que mais servidores estavam sendo adicionados na infraestrutura do serviço.

WhatsApp perdeu quase 5 milhões de usuários para o russo Telegram (Fonte da imagem: Reprodução/Twitter Telegram)

Foco nos usuários, não no dinheiro

Essa não foi a única ocasião na qual o WhatsApp perdeu usuários para o Telegram: cerca de um milhão de pessoas migraram para o app russo assim que o serviço foi comprado pelo Facebook, na última quarta-feira (19). Muitos acreditam que a venda fará com que o WhatsApp passe a ser menos seguro do que ele era até então – há quem já fale sobre programas de vigilância e espionagem governamental.
O Telegram, por sua vez, é um software open source (seu código fonte pode ser encontrado aqui) e criptografa todas as informações de seus usuários, prezando pela segurança das mensagens em texto e arquivos multimídia trocados entre os contatos. Além disso, os criadores do produto afirmam não ter qualquer tipo de lucro com o aplicativo e que não estão interessados em vendê-lo, aceitar investimentos ou cobrar qualquer coisa de seus utilizadores.
“Nós acreditamos em um mensageiro rápido e seguro que também seja 100% gratuito. As companhias comerciais geralmente precisam comprometer seus valores em prol de lucros financeiros”, afirma o site oficial do aplicativo. “E por isto que decidimos fazer do Telegram um projeto não-comercial. O Telegram não tem a intenção de gerar receita; não estamos construindo uma base de usuários, mas sim um mensageiro para as pessoas usarem”.

WhatsApp perdeu quase 5 milhões de usuários para o russo Telegram (Fonte da imagem: Telegram)

A próxima febre dos mensageiros instantâneos?

Com versões para iOS e Android (e clientes não-oficiais para web, desktop e Windows Phone), o Telegram foi lançado inicialmente em agosto de 2013. Atualmente, o serviço está disponível em inglês, espanhol e arábico, sendo que em breve os próprios usuários poderão traduzi-lo para a sua língua nativa de maneira colaborativa.
O aplicativo foi programado pelos irmãos Pavel e Nikolai Durov, que acreditam tanto na criptografia utilizada pelo produto que estão até mesmo oferecendo US$ 200 mil como prêmio ao hacker que conseguir quebrá-la. Com uma interface bem atraente e semelhante a do popular WhatsApp, o Telegram deve continuar angariando um bom número de usuário ao longo dos próximos dias graças a seu forte apelo para a privacidade e segurança de dados digitais. E você, já experimentou?


[ Fonte: http://www.tecmundo.com.br ] 





terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

► BOMBA! Facebook compra WhatsApp por US$ 16 bilhões




O Facebook anunciou nesta quarta-feira uma bomba: a empresa comprou o WhatsApp, responsável pelo popular aplicativo de bate-papo em celulares, pelo valor de US$ 16 bilhões (R$ 38 bilhões). O pagamento será feito em ações e dinheiro.

O WhatsApp receberá US$ 4 bilhões em dinheiro pela aquisição, além de outros US$ 12 bilhões em ações do Facebook. O acerto envolve ainda US$ 3 bilhões em ações restritas que serão dadas aos funcionários do WhatsApp, totalizando um investimento de US$ 19 bilhões.

Jam Koum, cofundador do WhatsApp e CEO da empresa, se tornará um executivo do Facebook, também ocupando uma cadeira no quadro de diretores de seu novo empregador.

A compra é, disparada, a maior já feita pelo Facebook. Em 2012, a empresa adquiriu o Instagram por US$ 1 bilhão, mas desde então pouco fez com o serviço e até hoje não conseguiu rentabilizá-lo.

A impressão que fica sobre a fusão é que a rede social comprou o serviço para tirá-lo do mercado. Seundo o Facebook, o WhatsApp tem 450 milhões de usuários, está a caminho de alcançar 1 bilhão de usuários e concorre diretamente com o Facebook Messenger. Nesse capítulo, o Facebook vem tentando há algum tempo tornar o seu próprio app de mensagens mais efetivo. Alguns viam nesse esforço uma tentativa de competir com o WhatsApp. Nos últimos meses, o aplicativo do Facebook ficou mais agradável visualmente e ganhou a possibilidade de adicionar contatos pelo número de telefone, sem a necessidade de que esses contatos fizessem parte da sua lista de amigos da rede social.

Conectar o mundo
Para Mark Zuckerberg, a compra do WhatsApp é mais que estratégica: "nos próximos anos, vamos trabalhar para ajudar o WhatsApp a crescer e conectar o mundo todo", escreveu em seu perfil. O discurso de integração do Facebook se materializou no ano passado, com o lançamento do projeto Internet.org. A iniciativa tem a pretensiosa meta de ajudar a conectar 5 bilhões de pessoas que ainda não fazem parte do mundo virtual, e conta com o apoio de várias outras empresas e entidades ligadas ao mundo da tecnologia. Agora, com a aquisição do WhatsApp, esse discurso de integração ganha o reforço de um aplicativo dos mais vitoriosos no mundo móvel - que é justamente a fronteira da internet que ganha cada vez mais velocidade e alcance.



[ fONTE: http://olhardigital.uol.com.br/ ] 




####################################################

Confira Agora Nossas Redes Sociais:



####################################################

Apple estaria trabalhando em tecnologia automobilística e sensor cardíaco

hardware apple


A Apple se tornou uma das líderes da tecnologia atual por meio dos smartphones e tablets, mercados que, agora, começam a apresentar sinais de saturação e redução em seus meteóricos números. Como o outro negócio da Maçã são os computadores, que também estão em declínio, a empresa estaria em busca de novos equipamentos revolucionários e, entre eles, estaria um sensor capaz de prever ataques cardíacos.
Não apenas isso, mas a indústria da medicina como um todo estaria sendo foco de estudos por parte da Apple, segundo conta o jornal San Francisco Gate. Seria mais um passo em uma série de pesquisas encomendadas, compra de pesquisas e conversas com outras companhias para possíveis parcerias. Um exemplo seria a fabricante de veículos elétricos Tesla.
No caso do sensor contra ataques do coração, especificamente, a prevenção seria feita por meio da análise dos sons que o sangue produz enquanto flui pelas artérias. Qualquer alteração, então, poderia ser percebida por equipamentos de alta sensibilidade. O desenvolvimento estaria nas mãos de Tomlinsom Holman, um especialista em áudio que também é o inventor dos sistemas THX e Surround 10.2.
A ideia seria medir a “turbulência” do sangue passando por artérias limpas para, então, diferenciá-la do som obtido quando o fluido ultrapassa obstruções. É exatamente aí que entra a experiência de Holman, especialista no tipo de áudio de alta fidelidade que esse tipo de equipamento requer.
Um outro passo importante da estratégia da Apple na indústria médica, que também já estaria em andamento, seria a contratação de médicos e advogados com experiência em lobby junto à FDA, a instituição que aprova todo tipo de aplicação para saúde aplicada nos Estados Unidos. Essa regulamentação, claro, é um passo fundamental para a chegada de qualquer produto do tipo ao mercado.

Carros e inovações

Os termos do contrato com a Tesla não são conhecidos, mas a Apple já estaria de olho também na tecnologia automobilística já há algum tempo. Além de rumores sobre uma aquisição completa da fabricante de veículos elétricos, estariam nos planos sistemas operacionais semelhantes ao iOS 7, mas dedicados aos carros, permitindo uso completo do iPhone a partir de uma interface modificada.
Hoje, a empresa conta com um capital de US$ 160 bilhões voltado quase exclusivamente para investimentos, o que permite aos executivos buscarem diversas alternativas e pensarem de maneira diferente. Mas, claro, o tempo não perdoa e, cada vez mais, o mercado de smartphones e tablets vem apresentando morosidade, enquanto a concorrência de fabricantes como Samsung se torna cada vez mais ferrenha.
Nesse ensejo, há quem diga até que a aquisição da Tesla seria um bom passo para ampliar ainda mais o potencial de inovação da Apple e trazer novas ideias para a mesa da companhia. A entrada no campo automotivo, porém, não tem nada a ver com os trabalhos atuais da Maçã e seria justamente isso que tornaria a ideia tão atrativa, conforme afirmou o analista Adnaan Ahmad, que representa o banco de investimentos alemão Berenberg.
São as similaridades entre as duas companhias que aproximam tanto a Apple e a Tesla. Ambas são focadas no design de alto padrão, mas acessível para seus clientes por meio de interfaces intuitivas. Além disso, as duas se tornaram ícones de inovação em suas indústrias e têm história semelhante, passando por dificuldades financeiras no passado e diversas ameaças de fechamento.
Como tudo que envolve as grandes novidades tecnológicas da Apple, claro, não existe nenhum tipo de informação oficial sobre esses assuntos. A marca costuma realizar seus anúncios em grandes eventos e, sendo assim, dificilmente falará nisso antes de efetivamente apresentar as inovações ao público.


[ Fonte: 
http://canaltech.com.br/




####################################################

Confira Agora Nossas Redes Sociais:



####################################################

## PROGRAMAÇÃO ESPECIAL NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE: AGRADECIMENTOS AOS 3.000 MIL VISUALIZAÇÕES DO CANAL!, + KIT DE PRESENTE. CONFIRA O,LINK AQUI, NÃO PECA VIU, ( É ESPECIAL)

Hoje, não é tutorial, não é dica, nem passo a passo, a programação de HOJE, é ESPECIAL,sim, realmente muito ESPECIAL, pois chegamos a marca de 3.000 VISUALIZAÇÕES DO NOSSO Canal. QUERO AGRADECER, a todos por assistir nossos vídeos, por compartilhar os vídeo, POR se Inscrever no Canal, e muito mais.

OBRIGADO, MESMO A TODOS OS NOSSOS VISUALIZADORES, LEITORES, INSCRITOS, ASSINANTES, INTERNAUTAS, AMIGOS E AO PUBLICO EM GERAL!
Continue sempre aqui conosco, para que nosso canal continue crescendo, espero, agora chegar a marca dos 4.000. 



LINK DO VÍDEO ↓:


Confira Agora Nossas Redes Sociais:

► Skype
tudopraseupc01 ou marcos142012

► Página no Facebook

► Comunidade no Google Plus

► Grupo no Facebook

► Twitter

► Site

► App Oficial

► Pinterest

► Ask.fm

► Tumblr

► MySpace

2014. Tudo Pra Seu PC™ Informática.

#TUTORIAL: Como bloquear ligações no iPhone com iOS 7

iPhone 5S e 5C



Quem nunca foi acordado no domingo de manhã por uma ligação de serviço de telemarketing oferecendo um serviço no qual você não está interessado? E as famosas mensagens de texto que apontam o usuário como vencedor de um sorteio ou que também realizam ofertas do tipo? Coibir essa prática é o intuito de uma das principais mudanças no iOS 7, que agora, permite ao usuário selecionar e bloquear números a partir do próprio sistema.
Antes, tal função só era possível a partir de uma ligação para a operadora e, mesmo assim, muitas não realizavam o serviço. E era preciso enfrentar alguma espera, muitas confirmações de dados e lidar com as tradicionais quedas na ligação, que sempre acontecem quando se acessa um serviço de telemarketing. O iOS 7 encerrou esse problema e colocou o controle nas mãos do próprio usuário.
Siga o passo a passo para entender como tudo funciona e começar a bloquear ligações e mensagens indesejadas:

Como bloquear ligações e mensagens de texto

Tutorial bloquear chamadas

Abra o aplicativo de “Telefone” e selecione a opção “Recentes”, no menu inferior. Lá, toque no símbolo de informações ao lado do número que será bloqueado para acessar o menu de configurações relacionado a ele.

Tutorial bloquear chamadas
A última opção da tela a seguir se chama “Bloquear este chamador”. Na tela a seguir, pressione novamente em “Bloquear Contato” para impossibilitá-lo de enviar mensagens de texto ou realizar ligações comuns ou por meio do FaceTime.

Tutorial bloquear chamadas
Para colocar um número que enviou SMSs não solicitadas na lista negra, o processo é parecido. No app de “Mensagens”, acesse a conversa com o número a ser bloqueado e clique em “Contato”, na parte superior direita da tela.

Tutorial bloquear chamadas
Clique no ícone de informação que aparece na sequência. Mais uma vez, selecione a opção “Bloquear este Chamador” e, na sequência, “Bloquear Contato” para completar a operação.
Assim como com as ligações, o número em questão fica bloqueado para o envio de mensagens de texto, ligações comuns ou pelo FaceTime. Para as pessoas, a impressão será de que o seu celular está desligado ou fora de área, com as chamadas sendo direcionadas automaticamente para a caixa de mensagens e sem nenhuma notificação exibida no aparelho.
Tal ato, porém, não impede que os indesejados deixem mensagens em sua caixa de entrada. Para resolver também essa questão, a Apple possui o sistema Visual Voice Mail, que permite a visualização do correio de voz recebido e o associa ao identificador de chamadas, exibindo informações de contato ou simplesmente o número de quem deixou recado.
Sendo assim, seria possível deletar as mensagens sem a necessidade de acesso ao correio de voz, um serviço que, em diversos casos, ainda consome os créditos ou tempos de ligação dos clientes. Infelizmente, no Brasil, o Visual Voice Mail não é habilitado por nenhuma operadora e, ao tocar no ícone de Voicemail no app de Chamadas, o usuário é levado diretamente a uma ligação.

Bloqueando números conhecidos

Também é possível realizar o bloqueio prévio de determinados números, mesmo que eles ainda não tenham realizado nenhuma ligação para o seu celular. Para fazer isso, é preciso que você tenha o indesejado cadastrado em sua lista de contatos.
Tutorial bloquear chamadas
Para fazer isso, acesse o menu “Ajustes” e, na sequência, escolha “Telefone” e, depois, “Bloqueio”.
Tutorial bloquear chamadas
Aperte em “Adicionar Novo” para ser levado à agenda de contatos, onde você poderá selecionar o número a ser bloqueado. O processo é semelhante aos outros e, por aqui, o usuário também se vê livre de ligações, FaceTime e mensagens de texto.

Desbloqueando contatos

Caso queira realizar a operação inversa, o processo é parecido. Acesse o menu de “Ajustes” e, na sequência, escolha as opções “Telefone” e “Bloqueio”.
Tutorial bloquear chamadas

Você verá uma lista dos números e contatos bloqueados. Escolha a opção “Editar” na parte superior direita da tela.

Tutorial bloquear chamadas

Todos os números passarão a contar com um sinal vermelho ao lado do nome. Selecione os que deseja remover da lista de bloqueados e, na sequência, pressione o botão “Desbloquear” que aparece.
Infelizmente, o processo não serve para números ocultos nem funciona para usuários que não possuam recursos de identificação de chamadas habilitados em sua linha. O processo também pode ser feito no iPad para bloqueio de mensagens enviadas pelo iMessage ou ligações do FaceTime.


Fonte: 
http://canaltech.com.br



####################################################

Confira Agora Nossas Redes Sociais:



####################################################

Guia de smartphones: Lançamentos de Janeiro de 2014

O ano começou com poucas, porém, boas novidades para o mercado brasileiro. Enfim, o Nexus 5, um aguardado top de linha da Google e da LG, desembarcou por aqui, embora com um preço de assustar até os mais pessimistas. Lá fora, a CES 2014, em Las Vegas, trouxe boas novidades como os Xperia Z1S e Z1 Compact. Confira os smartphones de destaque lançados em janeiro.


- LG Nexus 5
O Nexus 5 é o novo top da linha com Android Puro do Google. Equipado com a versão 4.4 "KitKat" do sistema operacional, o dispositivo traz ainda uma tela True HD IPS+ de 4,95 polegadas com resolução Full HD (1080p) e um processador quad-core Snapdragon 800 de 2,3 GHz. O aparelho chegou ao Brasil com o preço assustador de R$ 2.799, comparável ao iPhone 5S e muito mais caro do que o cobrado no exterior, mas teve o valor reduzido para R$ 1.799 após a polêmica.
Nexus-5Nexus 5 é o novo top de linha com Android Puro do Google e LG (Foto: Divulgação/LG)
O top de linha do Google e da LG conta ainda com 2 GB de RAM, bateria de 2.300 mAh e 16 GB de armazenamento, sem suporte a cartão microSD. O Nexus 5 traz ainda uma câmera traseira com 8 megapixels com gravação Full HD e estabilização óptica OIS, além de uma frontal de 1,3 megapixels. Completam as especificações as conectividades 4G, 3G, Wi-Fi, Bluetooth e NFC.
- Sony Xperia C 
sony-xperia-cSony Xperia C tem tela gigante e entrada para dois chips de operadoras (Foto: Divulgação/Sony)
O Xperia C é um smartphone intermediário da Sony com Android 4.2.2 "Jelly Bean", entrada para dois chips e uma telona de 5 polegadas com resolução de 960 x 540 pixels. O dispositivo conta ainda com processador quad-core de 1,2 GHz, 1 GB de RAM e 4GB de armazenamento interno, com suporte a cartão de memória de até 32 GB. Soma-se ao conjunto de especificações a câmera traseira de 8 megapixels com gravação Full HD (1080p) e tecnologia HDR, a frontal VGA e as conectividades 3G, Wi-Fi e Bluetooth. O preço de lançamento é de R$ 999.
Destaques Internacionais
- Sony Xperia Z1S
O Xperia Z1S é uma versão pouco melhorada do top de linha Z1. O aparelho vem equipado com tela Full HD de cinco polegadas, Android 4.3 "Jelly Bean" e câmera traseira de 20,7 megapixels HDR com gravação em Full HD. Ele ainda conta com proteção à água e poeira, podendo fazer vídeos e fotos submersas.
Sony-Xperia-Z1SXperia Z1S é praticamente idêntico ao Z1, mas traz algumas melhorias nas especificações (Foto: Divulgação/Sony)
Em seu conjunto interno, o novo top de linha da Sony possui um processador quad-core  Snapdragon 800 de 2,2 GHz, 2 GB de RAM e 32 GB de armazenamento, expansíveis em até 64 GB via cartão de memória. Estão presentes ainda a bateria de 3.000 mAh e as conectividades 4G, 3G, Wi-Fi, NFC e Bluetooth. Ainda não há informações sobre a chegada do aparelho no Brasil.
- Sony Xperia Z1 Compact
sony-xperia-z1-compactXperia Z1 Compact tem tela pequena e especificações praticamente idênticas ao Z1 original (Foto: Divulgação/Sony)O Xperia Z1 Compact é outra versão do top de linha Z1, mas em miniatura. O aparelho vem equipado com uma tela de 4,3 polegadas e resolução HD (720p), Android 4.3 "Jelly Bean" e câmera de 20,7 megapixels. O aparelho conta ainda com um processador quad-core Snapdragon 800 de 2,2 GHz, 2 GB de RAM e 16 GB de armazenamento interno, expansíveis em até 64 GB. Estão presentes também as conexões 4G, 3G, Wi-Fi, NFC e Bluetooth.
- Galaxy Note 3 Neo
O Galaxy Note 3 Neo é uma versão econômica do poderoso flobet da Samsung. Equipado com tela de 5,5 polegadas de resolução HD (720p), contra a Full HD (1080p) do modelo original, o aparelho conta ainda com Android 4.4 "KitKat", caneta S Pen e câmera traseira de 8 megapixels com gravação Full HD. O dispositivo está disponível em duas versões: 3G, com processador quad-core de 1,6 GHz, e LTE+ (4G), com chip de seis núcleos. Há ainda variantes com entrada para dois chips de operadora.
galaxy-note-3-neoGalaxy Note 3 Neo é versão mais econômica e com especificações inferiores à do Note 3 original (Foto: Arte/Divulgação)
O foblet econômico da Samsung possui 2 GB de RAM, bateria de 3.100 mAh e 16 GB de armazenamento interno, com suporte a microSD de até 64 GB. Entre suas ofertas de conectividades; Wi-Fi, NFC, Bluetooth e Infravermelho, além das específicas de cada modelo. Ainda não há confirmação de chegada no Brasil, mas a expectativa é que ele esteja disponível mundialmente em fevereiro.
- Sony Xperia T2 Ultra
xperia-t2-ultraXperia T2 Ultra, da Sony, tem tela de seis polegadas HD e processador quad-core (Foto: Divulgação/Sony)
A Sony também lançou um celular gigante de entrada: o Xperia T2 Ultra, equipado com tela de 6 polegadas com resolução HD, câmera de 13 megapixels e Android 4.3 "Jelly Bean". O dispositivo possui também processador quad-core de 1,4 GHz, 1 GB de RAM e 8 GB de armazenamento interno. Estão presentes ainda a 3G, Wi-Fi, NFC e Bluetooth, além de um modelo com suporte a dois chips. Ainda não há previsão para chegar ao Brasil.
- Sony Xperia E1
sony-xperia-e1Xperia E1 tem especificações simples e foco na reprodução de músicas (Foto: Divulgação/Sony)
O Xperia E1 é um aparelho de entrada da Sony com foco em reprodução de som, graças a um potente alto-falante de 100 decibéis e a volta do botão Walkman para trocar de faixas. O aparelho conta ainda com tela de 4 polegadas, processador dual-core de 1,2 GHz, câmera de 3,15 megapixels e armazenamento interno de 4 GB, expansíveis em até 32 GB. O aparelho conta com conexão 3G, Wi-Fi e Bluetooth e deve desembarcar no Brasil entre março e abril, ainda sem preço confirmado.
- Huawei Ascend Mate 2
huawei-ascend-mate-2Huawei Ascend Mate 2 é um foblet com boas especificações e bateria de longa duração (Foto: Divulgação/Huawei)
O Ascend Mate 2 é um foblet da Huawei com tela de 6,1 polegadas com resolução HD, Android 4.3 "Jelly Bean" e câmera traseira de 13 megapixels com gravação em Full HD. O celular gigante vem equipado com processador quad-core de 1,6 GHz, 2 GB de RAM, bateria gigante de 4.050 mAh e 16 GB de armazenamento interno, com suporte a até 64 GB. Completam as especificações as conectividades 4G, 3G, Wi-Fi e Bluetooth. Não há confirmações se o dispositivo virá para o Brasil, porém, a Huawei tem trazido novos modelos para o país. Então, há esperanças. 
- Samsung Galaxy Grand Neo
galaxy-grand-neoGalaxy Grand Neo tem tela de 5 polegadas e especificações intermediárias (Foto: Divulgação/Samsung)
O Grand Neo é um aparelho de entrada da Samsung com tela grande de 5 polegadas, câmera de 5 megapixels e Android 4.2 Jelly Bean. Ele conta também com processador quad-core de 1,2 Ghz, 1 GB de RAM e 8 GB de armazenamento interno, expansíveis até 64 GB via cartão de memória. Estão presente ainda as conexões 3G, Wi-Fi e Bluetooth.


####################################################

Confira Agora Nossas Redes Sociais:


####################################################
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...