Banner

Saudação

Sejam Bem-Vindos! Hoje é

domingo, 31 de março de 2013

Android: 4 aplicativos de mapas para usar offline

Aplicativos para você usar em momentos de crise para achar o caminho de volta para casa.



Existem várias situações em que um GPS ou um simples mapa podem ser úteis, assim como tantas outras nas quais você pode não ter nenhuma maneira de acessar a internet para conferir mapas com precisão online. Casos assim exigem medidas de emergência, seja ligar para alguém que esteja em frente a um computador ou apenas abrir um dos apps abaixo, já que neles você confere mapas confiáveis da região na qual você se encontra.


Google Maps

Uma atualização recente no Google Maps adicionou a opção de liberar o uso do aplicativo no modo offline. Basicamente, ele funciona da mesma maneira que online, porém com a diferença de estar limitado à sua cidade (ou apenas à região de que ele tiver baixado as informações). Embora possua a função de rota, o app não é capaz de recalculá-la no caso de você decidir não seguir as orientações exibidas na tela. Vale notar que nem todos os mapas do Brasil podem estar disponíveis.
Android: 4 aplicativos de mapas para usar offline


Navfree

O Navfree funciona como um GPS e, inclusive, apresenta uma interface similar à de um aparelho assim. Para fazê-lo funcionar, é preciso baixar um banco de dados de acordo com o seu país. Contudo, por ser gratuito, os mapas baixados podem não ser tão completos, deixando de exibir pontos de referência, por exemplo.
Android: 4 aplicativos de mapas para usar offline


MapsWithMe Lite

O Maps With Me Lite não traça rotas nos mapas baixados, nem indica quando você deve virar para chegar ao local desejado. Porém, é uma excelente ferramenta por ocupar pouco espaço e poder transferir exclusivamente o mapa da região ao seu redor, algo ótimo para você não desperdiçar espaço no seu dispositivo com mapas que nunca vai usar.
Android: 4 aplicativos de mapas para usar offline


MapDroyd

A maioria de recursos interessantes não está presente neste aplicativo, ou seja, nada de criação de rotas ou indicação de onde fazer suas curvas. Em certa medida, o MapDroyd parece com o app citado acima, porém com a diferença principal de mostrar mais pontos de referência no mapa, ajudando você a se localizar com mais facilidade.
Android: 4 aplicativos de mapas para usar offline

Com os aplicativos acima, você consegue “quebra-galhos” para os momentos de crise, quando você não tem como acessar nenhum ponto com internet ou já esgotou a sua cota no plano de dados do seu telefone. Ou seja, se você estiver sempre preparado e deixar baixados alguns mapas possivelmente úteis, há como se encontrar com alguma precisão usando esta seleção.


Facebook: 5 motivos para usá-lo... E 5 para não usá-lo.

A rede social de Mark Zuckerberg alcançou a incrível marca de 500 milhões de usuários. Saiba agora de alguns motivos para usar – ou não – o Facebook.



Apesar de ainda não ter “colado” aqui no Brasil – pelo menos não em comparação ao sucesso do Orkut, o Facebook é a maior rede social do mundo. O site, lançado em 2004 e que inicialmente tinha o intuito de ser uma rede para uso dos estudantes da universidade de Harvard, Estados Unidos, alcançou hoje a marca de 500 milhões de usuários registrados.
Se fosse um país, a criação do ex-estudante de Harvard Mark Zuckerberg formaria – acredite – o terceiro maior do mundo no quesito população e estaria atrás apenas da China e da Índia. Já deu para perceber que o Facebook é um ponto de encontro entre pessoas de vários lugares do mundo.
O Baixaki apresenta agora um resumo de cinco pontos positivos e negativos desta rede social e que devem ser levados em conta caso você resolva usar ou deixar de usar o serviço que vai virar até filme, “The Social Network” (ou “A Rede Social”, em tradução livre) de David Fincher e que deve chegar aos cinemas brasileiros em dezembro.

Cinco motivos para usar o Facebook

Todo mundo já ouviu falar do Facebook. O sucesso foi tamanho que muitos recursos da rede foram copiados pela Google nas últimas atualizações realizadas no Orkut. Veja agora alguns motivos que fazem valer a pena usar a maior rede social do mundo.

1-) Cadastro rápido
Criar uma conta no Facebook é muito rápido. Quando você acessa o www.facebook.com, vê logo de cara um breve cadastro onde basta a informação de nome, sobrenome, email, gênero, data de nascimento e a criação de uma senha. Pronto. Em poucos segundos você já pode se conectar aos 500 milhões de usuários da rede.

Cadastro rápido

2-) Compartilhar no Facebook
Já tem algum tempo que o Facebook é equipado com um sistema que permite a você compartilhar itens de várias partes da web diretamente com seus contatos. Dentro ou fora do site, você volta e meia encontra a opção “Curtir”, acompanhada de um sinal de positivo.
Isso, aliado a existência de atalhos para navegador que permitem a você compartilhar uma página qualquer com seus contatos, faz com que o conceito de web 2.0 e difusão de conteúdo seja realmente aplicado com o Facebook.

3-) Integre outras redes sociais
Para quem é antenado também em outras redes sociais, como o Twitter,  Windows LiveFormspringYouTube e Last.fm, o Facebook poder ser bem útil. Assim é possível que todas as atualizações que você faz em ambas as redes sejam compartilhadas com também com todos os contatos de sua conta do Facebook.

4-) Uso pessoal ou corporativo
Você quer apenas encontrar amigos do colégio ou ex-vizinhos da antiga rua? O Facebook é perfeito para isso. Você é dono de uma empresa e quer divulgar sua marca e seus produtos? O Facebook é perfeito para isso também. Você é um político, uma personalidade, um artista e quer reunir ideias e seguidores em um único lugar? Use o Facebook!

5-) Jogos e aplicativos
Talvez a grande sensação do Facebook foi ultrapassar a função de ser apenas um ponto de encontro e reencontro de pessoas. A rede social de Mark Zuckerberg foi pioneira ao permitir a instalação de aplicativos e jogos dentro do próprio site, seguindo um conceito de computação nas nuvens.

Facebook: 5 motivos para usá-lo... E 5 para não usá-lo
Atualmente são dezenas de jogos e utilitários com diversos fins que podem ser adicionados ao seu perfil. Com o Facebook as redes sociais passaram também a ser fonte de diversão e entretenimento na web.

Cinco motivos para não usar o Facebook

Nem tudo é um mar de rosas no Facebook. Os críticos não perdoam e acusações de falta de ética – tanto por parte de Zuckerberg em relação a seus antigos sócios quanto por parte do site com seus usuários – são constantes.
Já surgiu até um movimento na web para convencer as pessoas a deixarem o Facebook, o “Quit Facebook Day” (Dia de deixar o Facebook). O Baixaki já tratou desse assunto antes no artigo  "31 de maio: dia de dizer adeus ao Facebook". O fundador do movimento, Dan Yoder, já publicou uma lista de dez motivos para deixar a rede. Nós selecionamos cinco deles:
1-) Termos de serviço unilaterais
O Facebook detém todos os direitos sobre tudo o que é postado na rede. E, como se isso não bastasse, eles se reservam ao direito de encerrar sua conta no site, caso você não atualize seus dados, prestando informações cada vez mais precisas.
Não ao Facebook!


2-) Guerra contra a privacidade
Baseando-se em declarações recentes de Mark Zuckerberg, Dan Yoder afirma que o Facebook não respeita a privacidade do conteúdo de seus usuários. Zuckerberg disse, entre outras coisas que “o padrão agora é social”, dando a entender que o site não somente quer obter o máximo de informações possíveis a seu respeito, mas também divulgá-las sem critério.

3-) Todos os dados privados são compartilhados via aplicativos
Quando você instala um aplicativo no Facebook, todos os seus dados – inclusive os privados – são compartilhados. Os desenvolvedores dos aplicativos passam a ter acesso a seus dados e o que eles fazem com isso ninguém sabe. Para Yoder, a única maneira de ficar livre disso é não instalando nenhum aplicativo em sua conta.

4-) Falhas de segurança
De acordo com Dan Yoder, o Facebook não é competente o suficiente para evitar o sequestro de informações de seus usuários, o que coloca em risco as informações privadas que você presta no site. A opção “Curtir”, ainda segundo o crítico, facilita a vida de spammers para ganhar acesso às suas atualizações e enviar spams para sua conta.

5-) Dificuldade para apagar sua conta
Se você resolve apagar sua conta no Facebook, é bom se preparar, pois esse é um processo confuso e até mesmo irritante. Segundo Yoder, isso é proposital. Para apagar sua conta é preciso acessar um link “escondido” na seção de ajuda da rede ou, então, clicar nesse link e ser levado à página de confirmação de exclusão.


Mark Zuckerberg já possui quase 30% das ações do Facebook

O fundador da maior rede social da atualidade aumentou o número de ações adquiridas em mais de cem milhões.



Mark Zuckerberg já possui quase 30% das ações do Facebook 

Desde que o Facebook colocou suas ações no mercado de valores, viu seus papéis caírem de preço gradativamente. Isso não ameaçou a estabilidade da empresa e, para provar isso, o fundador Mark Zuckerberg prometeu que não venderia suas ações pelo período de um ano. Ele fez isso e foi além: continuou comprando os papéis do Facebook.
As compras fizeram com que o número de ações no portfólio subissem de 500 milhões para 632 milhões. Com isso, ele agora possui pouco menos de 30% dos papéis relacionados à rede social, sendo o principal acionista particular da empresa — além, claro, de ser CEO e fundador do Facebook.


Facebook: como remover o seu perfil das buscas

Saiba como evitar que o seu perfil na rede social apareça nos resultados de pesquisas.




Tire o seu perfil das buscas 

As redes sociais tornaram a nossa vida na internet muito mais pública do que ela era há alguns anos. Porém, mesmo que você possua um perfil no Facebook, pode nem sempre ter vontade de que as suas publicações apareçam nos mecanismos de busca, por exemplo, considerando tal fato como uma forma de “invasão de privacidade”.
O que poucos sabem é que o próprio Facebook oferece uma opção para remover o seu perfil dos mecanismos de busca. Ficou interessado em realizar essa alteração? Basta ler o tutorial abaixo para entender como realizá-la.
Atenção: vale apenas reforçar que este é um tutorial um pouco mais iniciante, voltado especialmente para quem ainda não conhece muito bem as configurações de privacidade do Facebook.


Retirando das buscas

Com o seu perfil do Facebook já aberto no navegador, comece clicando no botão de configurações que está presente na parte superior direita da tela, logo após o seu avatar e o link para voltar à página inicial. Então, escolha a alternativa “Configurações de privacidade”.

Acessando as configurações de privacidade 

Em seguida, no setor “Quem pode me procurar?”, localize a alternativa “Você deseja que outros mecanismos de busca exibam um link da sua linha do tempo?” e clique em “Editar”.

Abrindo as opções 

Então, desmarque a alternativa “Permitir que outros mecanismos de busca exibam um link para a sua linha do tempo”.

Desmarcando a opção 

Feito isso, uma janela é exibida na tela para confirmar as alterações. Nela, você deve clicar em “Confirmar”.

Terminando a operação 

Concluída essa configuração, o seu perfil passa a não ser exibido nos mecanismos de busca quando alguém fizer uma pesquisa pelo seu nome. No entanto, a alteração em si leva alguns dias para começar a ter efeito (visto que ela ocorre quando houver a atualização dos dados nessas ferramentas).


Considerações finais

Um ponto importante que você precisa ter em mente é o fato de que as coisas que você compartilha como públicas ainda podem aparecer nas buscas. Da mesma forma, publicações e comentários em páginas ou grupos abertos, bem como posts adicionados no fórum do Facebook também se mantêm nos resultados.
Além disso, essa modificação não o deixa invisível na busca interna da rede social. Para garantir que você possua maior privacidade dentro do próprio Facebook, é necessário ajustar as suas configurações para tal, como restringir o público dos seus posts e bloquear estranhos, por exemplo.


Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/como-fazer/36720-facebook-como-remover-o-seu-perfil-das-buscas.htm#ixzz2PALkRBYv

Facebook: como permitir seguidores públicos

Descubra como permitir que pessoas sigam o seu perfil sem necessariamente adicioná-lo como amigo.



Habilitando seguidores 

Há algum tempo, o Facebook abriu a possibilidade de qualquer pessoa abrir o seu perfil para seguidores. Essa é uma maneira interessante de permitir que outros acompanhem as atualizações publicadas por alguém sem necessariamente estarem na lista de amigos (mais ou menos como acontece no Twitter).
Essa função é inteiramente opcional e precisa ser ativada para que passe a ter efeito. Se você não sabe como fazê-lo e quer aprender, abaixo preparamos um pequeno tutorial sobre como habilitar a função de seguidores.
Atenção: vale apenas reforçar que este é um tutorial um pouco mais iniciante, voltado especialmente para quem ainda não conhece muito bem as configurações de seguidores no Facebook.
Outro detalhe importante é que, se você for menor de 18 anos, a função não pode ser ativada, visto que não é possível fazer posts públicos.


Permitindo que outros o sigam

Com o seu perfil do Facebook já aberto no navegador, comece clicando na setinha que está presente na parte superior direita da tela, logo após o seu avatar e o link para voltar à página inicial. Então, escolha a alternativa “Configurações de privacidade”.
Abrindo as configurações de privacidade 

Em seguida, clique na alternativa “Seguidores”, presente na barra lateral esquerda da tela.
Entrando na guia de Seguidores 

Então, marque a alternativa “Ativar a opção Seguir”.
Marcando a opção 

Concluída essa configuração, o seu perfil passa a exibir o botão “Seguir” e as pessoas podem adicioná-lo nas suas listas de feeds.
Botão de seguir 

Vale apenas lembrar-se de que os seguidores são capazes de ver apenas as suas publicações marcadas como públicas.


Configurações adicionais

Há mais duas opções que podem ser modificadas quando você habilita os seguidores públicos. Primeiro, você tem a possibilidade de definir se deseja ou não que esse público possa fazer comentários nas suas publicações. Para isso, ainda no setor de “Seguidores”, veja que há uma caixa de seleção na alternativa “Comentários de seguidores”.
Ela é utilizada para definir quem pode fazer comentários nos seus posts públicos. É possível escolher entre três alternativas: “Amigos” (restringindo apenas aos contatos), “Todos” ou “Amigos de amigos” (abrindo para os seus contatos e as conexões deles).
Configurações de comentários 
Outra função disponível permite que você receba uma mensagem sempre que alguém começar a segui-lo. Ela está presente na caixa de seleção “Notificação de seguidores” e você pode escolher entre “Todos” (para ser notificado quando qualquer pessoa passar a seguir o seu perfil) ou “Amigos de amigos” (limitando as mensagens a quando um amigo dos seus contatos o fizer).
Configurações de notificação 
Agora o seu perfil já está ajustado para receber seguidores públicos. Reforçando que, caso você deseje, futuramente, todas essas alterações podem ser desfeitas apenas voltando as alternativas ao seu estado original.


Facebook pode ter problemas por crescer rápido demais, diz cofundador

Eduardo Saverin diz que grande aceitação do público em curto espaço de tempo pode se voltar contra a rede social.



Crescer rapidamente é o sonho de toda a empresa. Mas Eduardo Saverin, o cocriador da rede social mais famosa do mundo, vê isso com outros olhos – pelo menos com relação à companhia que ele mesmo ajudou a erguer.
Quando questionado sobre os maiores riscos que o Facebook pode enfrentar, em entrevista ao The Wall Street Journal, Saverin declarou acreditar que a velocidade com que a rede social está crescendo é um enorme problema. “Quando você cresce rápido demais, é difícil iterar, educar.”
Analisando o quadro atual da empresa, é provável que ele esteja certo: desde sua abertura na bolsa, o Facebook só tem visto quedas no valor de suas ações, enquanto problemas como a “perda” da Zynga – sua maior fonte de lucro – só pioram a situação. É claro que, apesar de tudo, a empresa de Mark Zuckerberg ainda se mantém firme; porém, continuar agradando ao público com perdas tão grandes pode se mostrar difícil em um futuro próximo.


Hacker descobriu que podia entrar em qualquer conta do Facebook

Falha já foi arrumada pelo pessoal da segurança da rede social mais famosa do mundo.


Hacker descobriu que podia entrar em qualquer conta do Facebook


Nir Goldshlager é um hacker que trabalha procurando por brechas de segurança em grandes sites, como o Facebook. Um certo dia, quando estava exercendo a sua função, o especialista achou um bug que permitia que ele acessasse qualquer conta dos adeptos da rede social mais famosa do mundo.
Como o pessoal do Facebook parece prezar pela segurança dos seus usuários, o defeito foi logo consertado. No entanto, Goldshlager continuou investigando o site e achou mais dois defeitos. Até aqui tudo normal, o problema é que essas brechas permitem que os desenvolvedores de aplicativos também acessem contas alheias.


Liberdade em excesso

Isso acontece pelo fato de que as permissões que os desenvolvedores usam para fazer com que os seus softwares rodem no Facebook abre a segurança do perfil de qualquer pessoa. Apesar de o perigo ser grande, a rede social ainda não pronunciou sobre o caso — nem para dizer se as brechas foram fechadas.
O único comunicado feito foi sobre o primeiro erro achado pelo hacker. Os representantes do Facebook se disseram gratos pela ajuda e que o erro foi arrumado rapidamente, de modo que nenhum desenvolvedor conseguiu se beneficiar do acesso às contas das pessoas.

Hacker explora falha no Facebook e ganha acesso a todas as contas do site

Serviço de autorização permitiu a ele visualizar qualquer informação de membros da rede social.



O nome do hacker Nir Goldshlager deve entrar para a história do Facebook a partir desta semana — de um modo positivo, felizmente. Em uma postagem em seu blog pessoal, o rapaz confirmou ter encontrado e explorado uma falha no sistema de autorizações da rede social, o que permitiu a ele ter acesso a todas as opções de qualquer perfil cadastrado. Essa é provavelmente uma das maiores brechas já descobertas no site.
Para conseguir esse feito, Goldshlager utilizou-se do Facebook OAuth, o serviço de autorização que obriga que cada cadastrado conceda permissão ao desenvolvedor de um game ou aplicativo antes de começar a usá-lo.
E nem precisava ser um jogador viciado para ser vítima de um ataque assim: o rapaz conseguia total permissão sobre uma conta (incluindo postagens, caixa de mensagens, fotos e informações pessoais) mesmo nos perfis sem apps instalados. O único jeito de escapar desse controle seria mudando a senha de acesso.
Como Goldshlager verifica brechas em sites por trabalho e diversão, ele não se aproveitou de nenhum dos privilégios concedidos e avisou imediatamente o Facebook, que já consertou a falha. O vídeo acima, além de uma explicação detalhada sobre a falha de segurança, pode ser encontrado no site do hacker.


Facebook: como bloquear convites para jogos e eventos

Aprenda como se livrar de amigos inconvenientes que vivem convidando você para joguinhos, aplicativos e eventos na rede social.



Facebook: como bloquear convites para jogos e eventos 

Nada é mais chato do que aqueles seus amigos que insistem em enviar convites variados ou solicitações de jogos diversos que você não tem a mínima vontade de conferir. Se você não aguenta mais que o convoquem para eventos que você não quer ir ou para os famosos apps de calendário ou lembretes de aniversário no Facebook, saiba que há uma maneira simples de bloqueá-los e nunca mais ser incomodado por contatos inconvenientes.
Para isto, basta acessar o menu de configuração de privacidade de seu perfil. Ele pode ser acessado clicando no pequeno ícone de uma engrenagem (localizado no canto superior direito da tela) e em seguida na opção “Configurações de privacidade”.


Bloqueando convites de amigos no Facebook

Na janela que se abre, clique em “Bloqueio”. Note que há dois campos distintos para bloquear solicitações de usuários em específico. Em “Bloquear convites de aplicativos”, você desativa convocações para jogos e outros apps gerais do Facebook — basta inserir o nome do contato desejado para configurá-lo como bloqueado.

Facebook: como bloquear convites para jogos e eventos
O mesmo ocorre com o “Bloquear convites de eventos”. Basta digitar o nome do seu amigo inconveniente para desativar futuras solicitações para quaisquer eventos que ele queira que você esteja presente.

Facebook: como bloquear convites para jogos e eventos
.....
Vale lembrar que, caso mude de ideia e deseje voltar a receber as solicitações, basta clicar no link “Desbloquear” localizado ao lado do nome de todos os seus amigos listados. Enquanto você não faz isto, eles são incapazes de enviar qualquer convite para você.


Segunda-feira à tarde é o horário com mais atividade no Facebook

Estudo mostra que é no começo da semana que as pessoas compartilham mais informações na rede social.




Segunda-feira à tarde é o horário com mais atividade no Facebook
(Fonte da imagem: Reprodução/Facebook)
Você já parou para pensar qual é o momento exato da semana em que as pessoas mais utilizam o Facebook? Provavelmente você jamais tenha se preocupado com isso, mas uma nova pesquisa da empresa Three (especializada em redes móveis) mostra a resposta para você. Segundo um relatório da companhia, o período após o almoço de segunda-feira  é o “grande momento” da rede social.
A pesquisa é ainda mais específica: às 14h36, o Facebook é bombardeado com o maior volume possível de informações. E como é mostrado no relatório oficial da Three, o tipo de conteúdo que mais é compartilhado são as fotos pessoais, seguidas de fotos de animais, ofertas e promoções e então vêm as mensagens e imagens virais. A pesquisa também revela quais são os principais motivos das postagens.
Para 45% dos entrevistados, o grande objetivo é fazer com que as outras pessoas sorriam ao verem o que foi compartilhado. Em segundo lugar, com 37%, aparece a resposta “sentir-se mais próximo de amigos e familiares”. Mais para baixo no ranking, 23% das pessoas dizem que gostam de provocar reações e 18% admitem que querem chamar a atenção dos outros usuários da rede social. Em qual resposta você se encaixaria?

Facebook explica como foi feito o novo design do feed de notícias

Rede conta sobre o desafio de tornar os feeds menos abarrotados, mas sem abrir mão do conteúdo postado.



Facebook explica como foi feito o novo design do feed de notícias 

A mudança de design no feed de notícias do Facebook surpreendeu e agradou a muitos, graças à divisão de categorias. Mas você já parou para pensar como eles chegaram a essa solução? Para os mais curiosos, a rede lançou um post explicando como foi o processo.
Segundo eles, a maior reclamação recebida pela empresa com relação ao feed estava no fato de ele ser abarrotado demais. Então, quando um grupo de pesquisa foi questionado sobre soluções para descongestionar a área de notícias, surgiu algo curioso: quase todos respondiam que bastava retirar os posts que não eram do interesse deles.
É aí que entra o maior problema: cada pessoa tinha seus próprios gostos – alguns não queriam as notificações de jogos, outros só se interessavam nas fotos dos amigos, e por aí vai. Assim, ficou claro que não era possível se livrar de alguns tipos de post; dividi-los em categorias, entretanto, podia solucionar tudo.


Como surgiram as categorias

Com isso, tudo o que restou foi decidir quais categorias criar. Para descobrir quais eram as mais relevantes, o grupo de testes teve os posts mais recentes de seu feed impressos, com o objetivo de separar apenas aqueles que fossem relevantes para cada um.
Facebook explica como foi feito o novo design do feed de notícias
Para ajudar na criação das categorias, bastou uma combinação de posts impressos e post-its 
Ao fim da separação, já estavam claros os principais feeds que deveriam ser criados. Uma categoria para fotos, por exemplo, era óbvia desde o início; a “Todos os amigos”, todavia, foi um resultado direto dos estudos feitos por eles.
E você: gostou da divisão dos feeds? Acha que faltaram categorias? Deixe seus comentários abaixo.


Decadência: Orkut tem apenas 3% dos acessos às redes sociais no Brasil

Rede social perdeu o posto de mais acessada em menos de dois anos para Facebook e YouTube.



Decadência: Orkut tem apenas 3% dos acessos às redes sociais no Brasil
O Orkut ainda tem salvação?

A rede social da Google que se transformou no primeiro grande sucesso do gênero no país realmente perdeu seu reinado. Os números dos anos anteriores já mostravam o declínio, mas, por conta dos esforços para continuar ativo, acreditava-se que o Orkut poderia durar mais algum tempo como uma das grandes redes sociais no país. Entretanto, de acordo com a Serasa Experian, o serviço representa apenas 3% dos acessos às redes sociais no Brasil.
Os responsáveis pela queda são Facebook e YouTube, que representam juntos 83% dos acessos desses produtos na internet brasileira. Assim, o Orkut fica em terceiro lugar. Em maio do ano passado, a rede social foi ultrapassada pelo YouTube e, em janeiro do mesmo ano, o Facebook se tornava o serviço mais acessado do gênero no país.
De acordo com o relatório da Serasa Experian, de 2012 para 2013 o Facebook cresceu 27% no Brasil. Fora isso, o tempo médio das visitas no site está em 28 minutos, enquanto no YouTube as pessoas costumam passar quase 23 minutos vendo vídeos.
Confira a lista das redes sociais mais acessadas:

  1. Facebook: 65%
  2. YouTube: 18%
  3. Orkut: 3%
  4. Ask.fm: 2,52%
  5. Twitter: 1,91%
  6. Yahoo! Respostas: 1,64%
  7. Badoo: 1,09%
  8. Bate-papo UOL: 0,89%
  9. Google+: 0,85%
  10. Windows Live Home: 0,7%


67 milhões de brasileiros estão registrados no Facebook

Rede social possui todas as condições para continuar seu crescimento impressionante no Brasil.



67 milhões de brasileiros estão registrados no Facebook 
Ao menos no que diz respeito à presença de usuários brasileiros, o Facebook é a rede social que mais atrai atenções atualmente. O site já computa 67 milhões de perfis com origem nacional, registrando um crescimento de 458% em sua base de participantes no Brasil em um período de dois anos.
Em comparação, em 2011 eram somente 12 milhões de brasileiros que se interessavam pelo serviço criado por Mark Zuckerberg. Desde então, houve um grande crescimento do interesse pelo site, algo que foi potencializado principalmente pela grande migração de pessoas que costumavam usar o Orkut até então.


Crescimento acelerado

O crescimento do número de brasileiros presentes no Facebook continua acelerado. Em novembro do ano passado eram 61 milhões os nascidos no país que possuíam um perfil na rede social, o que prova que houve cerca de 6 milhões de cadastros nacionais nos últimos quatro meses.
Em declaração à Folha de S.Paulo, Alexandre Hohagen, vice-presidente do Facebook para a América Latina, afirmou que o Brasil tem muito potencial para crescer ainda mais na rede social. “A penetração da internet no Brasil ainda é relativamente pequena se formos comparar com países mais maduros. Então tem muita oportunidade ainda, muita coisa para crescer”, declarou o executivo.


Qual é o Android certo para mim?

Um passo a passo simplificado para você escolher um smartphone que atenda as suas necessidades.



Pensando em comprar um Android e não faz ideia de qual modelo escolher? Fique tranquilo, o Tudo Pra Seu PC [ Informática ]  vai ajudar você nesta tarefa. Separamos algumas dicas básicas para você saber por onde começar e não se arrepender na compra de um novo celular.


O que você busca em um smartphone?

Antes de pensar em comprar um Android, você precisa pensar nas atividades que você deseja realizar. Para definir o tipo de aparelho, basta responder a algumas perguntas básicas:
  • Você pretende jogar?
  • Utilizar o aparelho para fazer anotações?
  • Gosta de desenhar?
  • Navegar na web é suficiente?
Qual é o Android certo para mim? 
Essas questões básicas servem para determinar seu perfil. De nada adianta adquirir o produto mais caro do mercado e usar apenas para enviar mensagens de texto. Da mesma forma, não funciona adquirir um produto à prova d’água que não tenha bom desempenho em games. Bom, para usar como exemplo, vamos supor que você pretende jogar.


Estipule uma faixa de preços

abemos o seu perfil, é hora de avaliar qual smartphone “cabe no seu bolso”. Considerando que é possível encontrar Androids de 300 a  2.000 reais, você não deve ter dificuldade ao selecionar diversos modelos para jogos. Em nosso exemplo, vamos pensar em um smartphone com preços entre 1.200 e 1.500 reais.


Qual o tamanho de tela ideal?

A resposta para essa pergunta depende muito do seu gosto. A tela do Galaxy Note pode ser a maior, mas isso não significa que ela é perfeita. É importante definir esse quesito, pois a partir dele você poderá começar sua pesquisa de mercado.
Caso você não faça ideia de qual display é ideal, vale visitar uma loja e avaliar alguns dispositivos — sem dar importância ao preço, pois ainda estamos pensando no tamanho da tela. Digamos que você prefere um aparelho com tela de 4 polegadas. Então, agora vamos partir para as especificações do produto.


Hardware: tudo depende da sua necessidade

Sabendo o tamanho de tela e preço, você já pode pensar nos recursos que são necessários no seu smartphone. É nesse momento que a consulta em sites especializados (como o GSM Arena), a leitura de análises (algumas disponíveis no Tecmundo) e a visualização de inúmeros vídeos são atividades importantes.
Qual é o Android certo para mim? 
Primeiramente, é preciso pensar num dispositivo que atenda ao seu perfil. Como definimos que pretendemos adquirir um aparelho para jogos, então, um smartphone com processador e chip gráfico potentes é o mais recomendado.
Muitas vezes surgem dúvidas quanto à capacidade do smartphone, pois existem modelos com CPU dual-core e outros com chip de um núcleo. Vale buscar sites que tenham analisado os produtos selecionados ou vídeos que mostrem alguns jogos em execução.
Claro, também é importante avaliar o espaço de armazenamento interno, se existe entrada para cartão SD e a memória RAM. Enfim, todas as configurações que sejam básicas e definam o desempenho básico do smartphone precisam ser verificadas nesta etapa.
Caso seu perfil não seja de jogos, vale consultar páginas da web e averiguar se os modelos escolhidos desempenham bons resultados nas atividades pretendidas. Por exemplo, se você quer um Android para navegar, não adianta comprar um com suporte para dois chips, mas que não ofereça conexão 3G.


Recursos e sistema operacional

Muito bem, agora que você filtrou as buscas e tem ideia de alguns dispositivos interessantes, é hora de pensar nas demais configurações do aparelho. Neste momento, você deve avaliar as câmeras, o design, o som, a conectividade Bluetooth, os acessórios, teclado, sensores e outras funcionalidades.
Nesta parte do processo, você precisa verificar o sistema compatível. Alguns dispositivos não receberam o Android 4.0  e não vão ser atualizados para essa versão. Para determinadas tarefas, não há problema algum pegar um produto defasado. Todavia, se você pretende jogar ou ter o melhor desempenho, um dispositivo equipado com o Ice Cream Sandwich pode ser a escolha certa.


Escolha sua marca

Depois de tantos procedimentos, você deve ter dois ou três modelos em mente — talvez até mais. Agora, a melhor coisa a se fazer é ir até uma loja e testar os aparelhos. Verifique quais aplicativos vêm instalados por padrão, como é a interface do sistema, enfim, brinque e veja como é o desempenho dos dispositivos.
Qual é o Android certo para mim? (Fonte da imagem: Reprodução/Android)
Ao escolher um modelo, você automaticamente escolhe uma marca. Vale ficar atento nesta escolha, pois algumas fabricantes podem simplesmente deixar de dar suporte ou fornecer atualizações para determinados smartphones. Pensar antes de comprar é fundamental!


É hora de comprar!

Agora que você testou os produtos, vale definir qual comprar e onde comprar. Os valores costumam variar conforme as lojas e as operadoras. Portanto, é importante ficar ciente que você pode pegar um aparelho mais avançado em um plano pós-pago ou conseguir um celular mais esperto se comprar em uma loja que ofereça desconto.
Enfim, você provavelmente leu este texto em alguns poucos minutos, todavia, descobrir qual é o Android certo para você pode demorar muitos dias — ou semanas. Esperamos que as dicas tenham sido úteis. Aproveite o campo de comentários para obter opiniões de outras pessoas que já compraram ou usam um Android.


Venha Conheça em PRIMEIRA MÃO o visual do novo feed de notícias do Facebook

Mudanças foram anunciadas hoje pelo CEO Mark Zuckerberg e revelam imagens maiores, múltiplos feeds e maior integração com a plataforma mobile.
Publicado ( SÓ AQUI )





Facebook acaba de anunciar uma mudança em seu visual que pode ser considerada a maior dos últimos anos com relação ao feed de atualizações que você recebe em sua Timeline. As novidades, reveladas pelo CEO Mark Zuckerberg, mostram uma página com imagens maiores, possibilidade de acesso a múltiplos feeds e maior integração com a versão mobile.
Nas palavras de Zuckerberg, a ideia é transformar a rede social no “jornal mais personalizado que você pode ter”, com atualizações dos seus amigos e divisão por diversos assuntos, mas com tópicos dispostos de forma mais dinâmica para o leitor. “Nós acreditamos que as mudanças trarão um visual melhor, mais rico e vão proporcionar um maior engajamento”, explicou.
Julie Zhuo, diretora de design do Facebook, revelou algumas das novidades da nova interface. Logos e miniaturas agora serão exibidas em tamanho maior, tornando o visual da página similar ao de uma revista online, sendo ideal, por exemplo, para visualização em smartphones e tablets.
 


O novo Facebook

Quando o recurso Graph Search foi anunciado, há cerca de dois meses, Mark Zuckerberg destacou que as três novas modificações – Timeline, News Feed e Graph Search – seriam os grandes pilares do novo Facebook. E em todos eles a companhia ia buscar se voltar para as suas raízes – conectar pessoas e informações relevantes.
As novidades apresentadas no início da tarde de hoje (7) ainda não têm uma data definida para serem implantadas em definitivo. Entretanto, o Facebook disponibilizou uma página com mais informações sobre as mudanças, que pode ser acessada por meio deste link. Nela, você pode se inscrever em uma lista para ser um dos primeiros a receber a novidade.

Galeria de Imagens


Facebook apresenta seu novo visual

A linha do tempo vai ficar muito mais completa e organizada a partir de agora.




Facebook apresenta seu novo visual 

O Facebook anunciou hoje as mudanças que deve implementar no modo como as pessoas expressam seus gostos na rede social. A atualização deverá mostrar uma linha do tempo mais organizada, com seções independentes para as suas preferências musicais, cinematográficas, livros e seriados.
Os posts deverão ficar do lado direito e as fotos, músicas e outras atividades do lado esquerdo. A rede social também confirmou que será possível combinar o Netflix com o seu perfil para que você compartilhe com os seus contatos o que está assistindo no momento. Esse recurso também poderá ser utilizado com livros, através do aplicativo Goodreads.

Facebook apresenta seu novo visual
Se algum amigo seu compartilhar algo que você deseje adicionar à sua lista de interesses, basta clicar no símbolo [+] para enviar o item à sessão correspondente.
O novo visual do Facebook deve chegar nas próximas semanas.


Facebook libera função de resposta para comentários e previsão de tempo

Além da função para responder diretamente os comentários, rede social terá avisos sobre o clima em suas postagens.


Facebook libera função de resposta para comentários e previsão de tempo

Quando alguém deixava um comentário em alguma postagem de uma página do Facebook, caso você quisesse responder a mensagem diretamente, tinha que incluir o nome da pessoa, já que sua resposta ficava no final de uma lista de comentários.Agora, a rede social disponibilizou a função para responder diretamente os comentários deixados na sua página.
O Facebook liberou para seus usuários a função de responder comentários específicos deixados na sua página. Anteriormente, se você quisesse responder um comentário entre vários, deveria deixá-lo no final da lista. Agora, suas respostas ficaram agrupados com o comentário que gerou a resposta, deixando a tarefa de acompanhar uma conversa muito mais fácil.
Vale notar que a função foi liberada apenas para páginas do Facebook, ainda não sendo possível responder comentários diretos em postagens no seu perfil. A ideia é que a função seja disponibilizada para páginas com mais de 10 mil assinantes, até julho de 2013.


Previsão do tempo para os seus eventos

Você cria um evento no Facebook e não sabe direito se fará frio, calor ou se vai chover no dia marcado. Agora, a rede social contará com avisos sobre o clima, baseados no serviço do The Weather Channel. Dessa forma, você poderá planejar melhor os seus futuros encontros.
A função, criada em um evento hackaton, voltado para a criação de aplicativos e serviços para a rede social, já deve estar disponível para todos os usuários do Facebook.


Android: como desabilitar o WiFi mesmo com a tela desligada

Economize mais energia desabilitando o WiFi nos períodos em que o aparelho encontra-se inativo.



A duração das baterias de quaisquer smartphones ou tablets é, sem dúvida, uma das questões preponderantes na hora de avaliar a qualidade dos mobiles. E você certamente sabe que ações como buscar sinais de WiFi ou de rede consomem bastante energia dos aparelhos. Assim, quanto mais recursos de otimização de economia puderem ser ativados melhor.
Pois saiba que, mesmo quando a tela do seu Android está desligada, seu gadget continua utilizando os recursos de localização de sinal WiFi. Mas, para que essa função seja desativada, basta executar alguns comandos bastante simples. Siga este tutorial e consiga, em instantes, mais economia no uso de bateria do seu smartphone ou tablet Android.


Passo 1 – Acesse as configurações

Procure, na tela inicial do seu aparelho, o ícone “Configurações”. Depois de tocar sobre ele, todas as opções de rede vão aparecer. Iremos utilizar, neste momento, a de nome “Wi-Fi”. Portanto, clique sobre ela e, na aba seguinte, siga as próximas instruções.

Android: como desabilitar o WiFi mesmo com a tela desligada


Passo 2 – Ative o modo “Avançado”

Para quem não tem, por qualquer motivo, muita intimidade com o sistema operacional Android, talvez este passo signifique uma surpresa: se você tocar na coluna localizada no canto direito da tela, simbolizada por três pontos quadrados empilhados, cinco novas opções virão à tona.Android: como desabilitar o WiFi mesmo com a tela desligadaPara desativar o recurso de busca por sinais WiFi nos momentos em que o aparelho não estiver sendo utilizado, toque sobre o botão “Avançado”; a próxima tela vai mostrar todas as suas conexões sem fio – vamos configurar, no entanto, apenas as opções mostradas.


Passo 3 – Configurando atividade do serviço

Na janela aberta após a seleção do botão “Avançado”, diversas barras serão listadas. Neste momento, selecione a de nome “Manter Wi-Fi durante inatividade”. É provável que, antes mês mesmo de qualquer modificação manual, algum dos três campos já esteja marcado.Android: como desabilitar o WiFi mesmo com a tela desligadaDe toda forma, e depois de ter aberto o controle “Manter Wi-Fi durante inatividade”, apenas mais passo precisa ser dado para que, finalmente, sua configuração seja feita — você deve escolher se você deseja manter o serviço de captação de sinal inativo “sempre, somente quando conectado e nunca”.
Para que o serviço seja desativado nos momentos em que nenhuma função é atribuída ao aparelho, selecione o campo “Nunca (aumenta o uso de dados)”. Esse comando vai otimizar a economia de energia, uma vez que, agora, o WiFi é desativado durante os períodos de inatividade do mobile.

Novo Android 4.2 conta com novas ferramentas de segurança

Sistema operacional trabalha como uma extensão da Google Play e fica de olho em qualquer programa infectado.




Jelly Bean ganha atualização e vira Android 4.2 com vários perfis e muitas novidades
Com a atualização do Jelly Bean para Android 4.2, a Google trouxe algumas novidades muito interessantes para os fãs do sistema operacional, como o PhotoSphere ou a possibilidade de se criar perfis para tablets e smartphones. E os novos recursos não acabam por aí. Segundo apurou a Computer World, o SO também conta com ferramentas de segurança mais confiáveis.
De acordo com a revista, o novo SO se comporta trabalhando como uma verdadeira extensão da Google Play, loja de aplicativos da companhia. No site, há sempre uma fiscalização dos programas, tudo para analisar se os apps lá inseridos contam com malwares ou itens maliciosos. Agora, com o Android 4.2, os aparelhos também contarão com uma funcionalidade semelhante, capaz de escanear os softwares de outras fontes (ou seja, que não foram adquiridas na loja) em tempo real e, com isso, buscar qualquer tipo de ameaça.
A ferramenta será opcional, assim, sempre que você quiser instalar algo vindo de algum lugar que não seja a Google Play — um APK qualquer copiado para o seu aparelho, por exemplo —, o sistema perguntará se você deseja ou não que o trabalho seja realizado. Além disso, o monitoramento pode ser ativado ou desligado sempre que você quiser por meio das configurações do aparelho. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...